Agronegócio

Votorantim apresenta projeto de investimento no RS

Desde o final de 2003 o grupo investe R$ 160 milhões por ano na formação da base florestal da empresa no RS
Por: -Redação
4 acessos

Na primeira visita feita à governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, nesta terça-feira (23-01), o comando da Votorantim Celulose Papel (VCP) detalhou os seus projetos no Estado. Desde o final de 2003 o grupo investe R$ 160 milhões por ano na formação da base florestal da empresa no RS, informou o diretor presidente da VCP, José Luciano Duarte Penido, no Palácio Piratini. A partir de 2009 deve começar a obra da fábrica de celulose, com investimento de US$ 1,2 bilhão. Ela poderá ser construída próxima ao rio São Gonçalo, afirmou. O início das operações está programado para 2011. Penido mostrou a Yeda o layout da fábrica.

"A VCP está comprometida em continuar investindo no RS, sem pedir subsídios e incentivos fiscais ao governo. Atuamos em sistema de dependência, de 30% a 40%, de nossos parceiros, pois o objetivo é a inclusão social dos vizinhos, não é somente comprar terras", afirmou o diretor presidente da VCP. "O projeto da VCP é inovador e desejado pelo governo do Estado. Ele não forma maciços florestais e preserva o meio ambiente, as vocações da produção e os valores do Rio Grande", afirmou a governadora.

Segundo Penido, em 2006 a VCP teve 330 parceiros florestais. Eles plantaram, com a empresa, mais de 6 mil hectares. "Foi um investimento de US$ 6 milhões a US$ 7 milhões injetados na região e a colheita dentro de sete anos vai levar por ano, aos nossos parceiros florestais, US$ 20 milhões. Isso formará uma nova classe média na região", previu ele. O projeto da VCP implantará uma base florestal de 110 mil a 120 mil hectares de plantio efetivo de eucalipto no RS, com uma área preservada de igual dimensão. Dele participam as universidades federais de Pelotas e Santa Maria e a Fundação Universidade de Rio Grande.

Apoio:

Até agora, já foram adquiridos 92 mil hectares no Estado. Desta área, 40 mil hectares foram plantados com eucaliptos. A madeira resultante da base florestal, em formação em 30 cidades integrantes da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), será transformada em celulose pela fábrica, já projetada - produzirá 1 milhão de toneladas de celulose branqueada de eucalipto/ano. Vai gerar mil empregos permanentes. A inauguração é para agosto de 2011, adiantou a Yeda o presidente da VCP. A decisão definitiva da construção será tomada pelo conselho da VCP em meados de 2008.

Ainda não está definida a localização da futura indústria, mas a VCP mostrou à governadora os projetos e o design da unidade. Ela será instalada numa área próxima ao rio São Gonçalo, situada entre os municípios de Arroio Grande, Pelotas, Capão do Leão e Rio Grande. A governadora garantiu total apoio às necessidades do empreendimento. "O projeto é avançado e revolucionará a economia da região. É um processo irreversível, com a participação de universidades e o governo trabalhará a proposta de modo estruturante", disse Yeda.

Programas:

A governadora adiantou a sua intenção de incluir o apoio do Estado, de complementação dos investimentos no Plano Plurianual, que abrigará programas estruturantes ao desenvolvimento do RS. Para o secretário do Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais, Nelson Proença, "a governadora determinou a agilização de procedimentos da parte do Governo do Estado visando a consolidar os empreendimentos da VCP e também da Stora Enso e Aracruz". Segundo ele, "há plena consciência do governo quanto a importância dos investimentos e de que é possível um casamento entre os investimentos com os empregos e preservação do meio ambiente, transformando positivamente a Metade Sul".

A secretária do Meio Ambiente, Vera Callegaro, informou que, no segundo semestre deste ano, deve ser aprovada a edição de uma resolução com as regras ambientais para viabilizar o investimento. No entanto, para não serem interrompidas as atividades de base florestal, Callegaro adianta que será necessário propor a prorrogação do termo de ajuste de conduta entre o Ministério Público Estadual (MPE), a Fepam e a VCP. Já houve um contato inicial com o MPE para a concretização do termo. Participaram também na reunião, o diretor florestal da VCP, José Maria de Arruda Mendes Filho, e o gerente de patrimônio da empresa, Jorge Antônio Heineck. As informações são da assessoria de imprensa do governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink