Zootecnista garante segurança alimentar de animais e população
CI
Agronegócio

Zootecnista garante segurança alimentar de animais e população

São eles os responsáveis pela avaliação, aprimoramento e melhorias genéticas de animais de produção, assim como do manejo das criações
Por:
Além de ser um dos responsáveis pelos rebanhos da porteira para dentro das fazendas, o Zootecnista contribui cada vez mais para garantir a segurança alimentar e o bem-estar da população. Este profissional é fundamental para o avanço de um dos principais setores da economia brasileira - o agronegócio. São eles os responsáveis pela avaliação, aprimoramento e melhorias genéticas de animais de produção, assim como do manejo das criações que se transformam em alimentos para o mercado interno e externo do País. 

Também são deles a incumbência de selecionar os animais que formam o rebanho matriz para reprodução, de determinar o sistema e as técnicas a serem usados em cruzamentos, de pesquisar as necessidades nutricionais do rebanho e estabelecer a dieta adequada aos animais. "O Zootecnista busca controlar a produtividade e trabalha diretamente na questão da segurança alimentar com enfoque nos aspectos nutricionais, em animais confinados em centros de apreciação e também em pets", detalha o presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Benedito Fortes de Arruda.

 Área tem ganhado espaço importante no país

Segundo a presidente da Comissão Nacional de Ensino da Zootecnia (CNEZ) do CFMV, Ana Cláudia Ambiel, o mercado de trabalho para o Zootecnista está cada dia mais atrativo e abrangente. Ela observa que além de trabalhar a adequação do sistema criatório - bovinos de corte e de leite, aves, suínos, ovinos, caprinos, bubalinos, equinos, organismos aquáticos, animais silvestres, entre outros, os Zootecnistas também são responsáveis pela implantação e manejo de pastagens. "É uma profissão de grande importância social e econômica, porque nosso trabalho proporciona o desenvolvimento de todo o setor do agronegócio", avalia Ambiel.

O Zootecnista também atua na indústria alimentícia, em universidades, institutos de pesquisa e órgãos públicos. "Também trabalhamos a questão do bem-estar dos animais selvagens em zoológicos e centros de triagem e atuamos de forma sustentável para a conservação dos recursos naturais", acrescenta a Zootecnista. A grade curricular é ampla, já que estão incluídas na formação do Zootecnista disciplinas como nutrição e alimentação animal, pastagens, melhoramento genético animal e de plantas, bioclimatologia, comportamento animal, ciências do solo e biotecnologia, por exemplo.

Área Jovem e promissora

A Zootecnia é uma profissão jovem. A primeira Faculdade de Zootecnia no Brasil foi fundada em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, em 13 de maio de 1966, quando é comemorado o Dia do Zootecnista. A profissão foi regulamentada em 1968. Atualmente, existem no País 112 cursos de Zootecnia formando cerca de 3,5 mil profissionais por ano.  O Conselho Federal de Medicina Veterinária tem registrado cerca de 7.400 Zootecnistas atuantes. "Atuamos na cadeia produtiva com olhos para o mercado de crédito de carbono, fair trade, orgânicos, bem-estar animal, inserção mo mercado de energia (biodisel e etanol), biotecnologia e nutrigenômica, atuação estratégica na cadeia de pets e área de serviços e lazer rural", acrescenta Ana Cláudia Ambiel.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.