Soja irrigada ganha espaço em região seca

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
Imagem: Divulgação
BAHIA

Soja irrigada ganha espaço em região seca

Cultivo é beneficiado pela grande disponibilidade de água do rio São Francisco
Por: -Eliza Maliszewski

O Médio São Francisco baiano é uma região que, historicamente, registra curtos períodos chuvosos, com até 1000 milímetros de precipitações pluviométricas por ano. O local seco ganha a cor das lavouras de soja graças à irrigação. O que favorece é a grande disponibilidade de água do rio São Francisco.

Para observar os resultados alcançados por esse trabalho, que vem sendo desenvolvido por produtores rurais nos municípios de Malhada, Serra do Ramalho e Sitio do Mato, a equipe do Programa Fitossanitário da Soja realizou visitas técnicas, para levantamento das áreas pioneiras, de irrigação de soja, entre o oeste e sudoeste baiano.

Parte dos produtores ainda está na primeira safra, e os dados indicam boas perspectivas para o futuro. “Houve produtor que chegou a colher 82 sacas de soja por hectare, em área irrigada. Outros conseguiram um pouco menos, mas, no geral, é um resultado muito bom, porque nessa área o custo de produção é mais baixo do que no oeste. A região demonstra grande potencial para aumento de produção de soja irrigada”, comemorou Armando Sá, coordenador do Programa Fitossanitário da Soja. Em uma análise preliminar, ele verificou a boa qualidade dos grãos e identificou a insuficiência da assistência técnica.

O fiscal agropecuário, Nailton Almeida, da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), também participou da expedição. “Constatamos a evolução da sojicultura na área e, como era de se esperar, detectamos, também, a presença da Ferrugem Asiática em algumas lavouras. Mas estamos traçando um planejamento, para uma parceria entre Aiba, Adab e os produtores, com o intuito de fortalecer os próximos ciclos produtivos”, disse. Como resultado da interação entre técnicos e produtores rurais, foi estabelecido acordo para a criação de um núcleo, que coordene o setor produtivo regional e promova treinamentos para as equipes das propriedades.

Para a safra 2021/22, há projeção da ampliação das áreas de cultivo, para cerca de 9 mil hectares, na região do Médio São Francisco.

A Bahia é responsável por 5% da soja colhida no Brasil. Dados da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), apontam que houve um crescimento na área plantada da oleaginosa na Bahia, em 4,9% da safra 2019/20 para a 2020/21. Espera-se neste ano uma produção de 1,7 milhão de hectares, com produtividade 6,5% maior. Tudo isso, somado ao bom cenário de negócios, deves levar a Bahia a um novo recorde histórico na produção.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink