Programação virtual marca pré-lançamento do Interleite 2021
CI
Imagem: Pixabay
EVENTO

Programação virtual marca pré-lançamento do Interleite 2021

Objetivo é debater temas da cadeia produtiva leiteira e iniciar preparativos para edição do próximo ano

O pré-lançamento do Interleite Brasil 2021 será nesta quarta-feira (16/09), das 17h às 20h15, com programação on-line e gratuita. O evento digital tem a proposta de iniciar os debates sobre a cadeia produtiva leiteira e já preparar o público para a programação que ocorrerá em 2021, em Goiânia. Para participar é preciso efetuar a inscrição pelo site: www.milkpoint.com.br/interleite-lp/. Na programação constam três painéis: O produtor de leite brasileiro do futuro, O produtor rural na era da comunicação e A transformação que está ocorrendo no setor: indo além das estatísticas.

O Interleite Brasil é considerado um dos principais fóruns de mercado e gestão, que reúne produtores, técnicos e demais integrantes da cadeia láctea no Brasil. A edição 2020 foi adiada para o próximo ano por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Em 2021, pela primeira vez, o evento vai ocorrer na capital goiana, com realização da Agripoint e correalização do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Goiás Turismo, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Goiás) e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Goiás).

O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, destaca que o evento do próximo ano será a primeira edição do Interleite fora do Estado de Minas Gerais. “A escolha de Goiás para sediar a edição 2021 revela a importância desse segmento da pecuária para o nosso Estado. A atividade leiteira está presente nos 246 municípios goianos e contribui para estimular a economia do nosso Estado, seja de forma direta ou indireta, gerando milhares de empregos”, informa.

Atualmente, Goiás é o quarto maior produtor de leite no Brasil, com mais de 3,08 bilhões de litros produzidos em 2019. Entre os municípios que mais se destacam na atividade estão Orizona, Piracanjuba e Jataí, segundo dados da Radiografia do Agro em Goiás – publicação elaborada pela Seapa e que oferece diagnóstico da produção rural para a tomada de decisões e construção de políticas públicas.

Fortalecimento do setor

O secretário Antônio Carlos enfatiza que o Governo de Goiás tem trabalhado para fortalecer ainda mais a pecuária leiteira no Estado e permitir o desenvolvimento de todos os elos da cadeia produtiva, desde o produtor até a indústria de laticínios.

Ele cita como exemplo, por iniciativa do Governo do Estado, a criação da Câmara Técnica e de Conciliação da Cadeia Láctea do Estado de Goiás, em agosto de 2019, que reúne representantes da Seapa, Instituto Mauro Borges (IMB), Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Goiás (Sindileite).

“Com a Câmara de Conciliação, conseguimos atender aos anseios de todos os lados envolvidos e buscar soluções para o segmento”, cita Antônio. Segundo o secretário, um dos principais resultados é o Índice de Preços de Derivados Lácteos, que auxilia nas negociações, além de proporcionar maior transparência, integração, cooperação e competitividade ao setor leiteiro goiano. “O índice trouxe um balizador técnico-econômico para a cadeia produtiva, permitindo tanto às Indústrias quanto produtores, uma melhoria significativa no planejamento de suas atividades”, informa o titular da Seapa.

O índice é divulgado, todo mês, no Boletim de Mercado do Setor Lácteo Goiano, e é calculado a partir da variação dos preços de uma cesta de produtos lácteos que representa o mix médio de derivados produzidos pelos laticínios no Estado de Goiás. Na cesta avaliada são considerados cinco produtos: leite UHT integral, leite em pó integral, queijo muçarela de barra, leite condensado e creme de leite a granel. O cálculo leva em consideração os valores recebidos pela indústria no mercado atacadista.

Por meio da Câmara de Conciliação também foram desencadeadas outras ações como diagnóstico do leite, pela Faeg, os manuais de boas práticas (Agropecuária e de Transportes), por parte do Sindileite, e a regulamentação do Selo Arte, sobretudo para a produção de queijo artesanal, por meio da Seapa e Agrodefesa.

Serviço:
Pré-lançamento do Interleite 2021
Quando: quarta-feira (16/09), das 17 às 20h15
Local: Programação virtual
Link para inscrição: www.milkpoint.com.br/interleite-lp/

Programação:

17 às 17h15: Abertura – AgriPoint, Sistema Faeg Senar, Governo de Goiás e Sebrae
17h15 às 18h15: O produtor de leite brasileiro do futuro - bate-papo com Maurício Silveira Coelho, Fazenda Santa Luzia, Passos(MG) e José Renato Chiari, Irmãos Chiari, Morrinhos (GO)
18h15 às 19h15: O produtor rural na era da comunicação – bate-papo com Gabriela Nichel, agricultora; Jaqueline Ceretta, produtora de leite; e Christian Chiavassa, produtor de leite na Argentina
19h15 às 20h15: Debate - A transformação que está ocorrendo no setor: indo além das estatísticas, com participação de Carlos Eduardo Carvalho, Senar Goiás; Wagner Beskow, Transpondo; Paulo do Carmo Martins, Embrapa Gado de Leite e Roberto Jank Jr, Agrindus


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink