Sustentabilidade

Seminário apresentará resultado de programa de recuperação de áreas degradadas na Amazônia

Evento é realizado pelo Mapa junto com Embrapa e Senar
Por:
140 acessos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Embrapa e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (senar) realizam nesta sexta-feira (10) o Seminário de Balanço e Perspectivas do Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas da Amazônia (Pradam), na sede da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), a partir das 8 horas. O objetivo é apresentar a parceiros que promovem a política ambiental e agrícola resultados da finalização do projeto.

O Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas na Amazônia foi firmado entre o governo brasileiro e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), em 2010, visando atender demanda no âmbito do Plano para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm) para implementar ações de fomento às atividades produtivas sustentáveis na região.

Na primeira etapa do programa houve o levantamento das áreas já antropizadas no bioma Amazônia. Para tanto, houve aporte de recurso do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG-7), em parceria com o Mapa, Embrapa e Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) com coordenação do Ministério do Meio Ambiente e Banco Mundial.

A segunda etapa do programa compreendeu fomento à produção agropecuária sustentável, contribuindo para a redução do desmatamento da floresta nativa, mediante a recuperação de áreas ambientais e de produção.

O programa também está inserido no contexto da Política Nacional sobre Mudança do Clima em interface com o Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura (Plano ABC).

Serviço:

Auditório da CNA - Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, localizado na SGAN Quadra 601, Módulo K - Brasília, DF, com apoio do SENAR e da FAO.

Acesse a programação

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink