Confinadores estão receosos
CI
Imagem: Marcel Oliveira
REPOSIÇÃO

Confinadores estão receosos

Pecuaristas estão animados com o preço da venda, porém assustados com a falta de boi magro
Por: -Eliza Maliszewski

As equipes do Confina Brasil, que estão percorrendo fazendas São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso e já visitaram 76 confinamentos, constataram que os pecuaristas estão entusiasmados com o preço da arroba do boi em patamares históricos mas, por outro lado, cautelosos quanto ao mercado de reposição e o preço dos insumos. 

Os confinamentos visitados até o momento somam uma capacidade estática superior a 570 mil bois. O preço da arroba em Mato Grosso, principal produtor está em R$ 246 na média dos últimos 30 dias e em São Paulo ultrapassa os R$ 260, segundo a Scot Consultoria. Já o macho nelore magro beira os R$ 300 a arroba. 

O estado que tem melhor situação é o Mato Grosso do Sul onde há oferta de boi magro mas a realidade muda em São Paulo e Mato Grosso, com escassez de animais para reposição. Muitos dos produtores entrevistados estão assustados. Os mato-grossenses, por exemplo, além da dificuldade de achar boi magro, os que encontram, estão muito mais caro que o planejado para este ano”, ressalta Olavo Bottino, médico veterinário e diretor técnico do Confina Brasil. 

A dieta também chamou a atenção das equipes. Em Mato Grosso do Sul há maior disponibilidade de milho então a maioria dos confinamentos está usando o cereal como base e outros estão utilizando soja e o caroço de algodão na alimentação da boiada. Em São Paulo a dieta é caracterizada pela influência das indústrias regionais, pois os produtores paulistas usam os coprodutos das fábricas que têm maior disponibilidade, como por exemplo, a polpa cítrica e o melaço de cana. Também foi observado a utilização predominante do bagaço e silagem de cana-de-açúcar como volumoso.

Já no Mato Grosso a alta nos preços dos insumos pela valorização dos grãos faz com que muitos produtores adotem até quatro dietas diferentes em 100 dias de confinamento. “O produtor tem que ir substituindo pelas ofertas de insumos disponíveis, reformulando as dietas com outros concentrados e isso acaba prejudicando o desempenho final dos animais”, diz Marco Túlio Habib Silva, diretor de marketing da Scot Consultoria.

A equipe do Confina Brasil continua o mapeamento em Mato Grosso e depois segue para Goiás e Minas Gerais. 
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink