Barista é campeã mundial utilizando café produzido no Brasil

Café

Barista é campeã mundial utilizando café produzido no Brasil

Brasil sediou quatro campeonatos mundiais de barismo
Por:
259 acessos

Pela primeira vez na história, o Brasil sediou quatro campeonatos mundiais de barismo: World Brewers Cup Championship, World Cup Tasters Championship, World Coffee in Good Spirits Championship e World Latte Art Championship. As competições ocorreram dentro da programação da Semana Internacional do Café (SIC), realizada de 7 a 9 de novembro, em Belo Horizonte (MG), e foram possíveis graças aos esforços da organização do evento em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que trouxeram os certames através do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”.

Também de maneira inédita, a campeã do World Brewers Cup Championship, a representante da Suíça, Emi Fukahori, venceu a competição com um café produzido 100% no Brasil, na região do Cerrado Mineiro, sendo esse um feito histórico para nosso país. Ela foi a competidora que preparou o melhor café pelo método filtrado e manual, fazendo uso de suas técnicas e habilidades para extrair o melhor do produto coado. Neste campeonato, o representante nacional foi o campeão brasileiro Léo Moço, que finalizou o mundial em 34º lugar.

Em 2018, o degustador que mais demonstrou conhecimento na distinção de cafés foi o representante da Austrália, Yama Kim, que se sagrou vencedor do World Cup Tasters Championship. O brasileiro Carlos Henrique da Silva, campeão nacional da categoria, encerrou a competição em 11º lugar e alcançou a melhor colocação do país nos mundiais realizados em Belo Horizonte.

O World Coffee in Good Spirits Championship analisou o desempenho dos baristas no preparo do café com drinques alcoólicos e outros ingredientes que harmonizam com a bebida quente ou fria. A melhor performance, este ano, ficou com Dan Fellows, do Reino Unido, que levou o título da competição. O Brasil foi representado pelo campeão nacional Ariel Todeschini da Motta, que encerrou o campeonato na 21ª colocação.

A quarta competição mundial inédita realizada no Brasil foi o World Latte Art Championship, que evidencia a habilidade do barista em realizar desenho com leite no café. O destaque da competição foi o malaio Irvine Quek Siew Lhek, que superou dezenas de competidores e sagrou-se vencedor. O Brasil foi representado pelo campeão nacional Daniel Acosta Busch, que encerrou o campeonato na 29ª posição.

Os Campeonatos Mundiais de Barismo são organizados pela World Coffee Events (WCE), empresa que responde à Specialty Coffee Association (SCA), a Associação de Cafés Especiais mais relevante do mundo. Segundo a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, o objetivo das competições é agregar a comunidade internacional apaixonada pelo café e mostrar como o mercado tem profissionais diferenciados no preparo da bebida mais querida do planeta.

“A realização dos campeonatos mundiais no Brasil é uma grande conquista, uma verdadeira honra! Recebemos centenas de baristas de dezenas de países e disponibilizamos uma estrutura espetacular, atendendo às expectativas dos competidores, que puderam dedicar sua atenção total nas competições, dando o melhor de si”, comenta.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink