Unemat disponibiliza mapeamento das áreas de soja em Mato Grosso

SOJA

Unemat disponibiliza mapeamento das áreas de soja em Mato Grosso

Mato Grosso plantou nesta última safra 10.645.826 hectares, com um aumento de 225.402 hectares
Por:
1718 acessos

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) disponibiliza o terceiro mapeamento das áreas de soja, relativo ao ano safra 2018/19 e informações relativas às áreas de cultivo estão disponíveis na plataforma SojaMaps. Os dados são apresentados por município. De acordo com o coordenador do projeto, professor Carlos Antonio da Silva Junior, doutor em Agronomia, Mato Grosso plantou nesta última safra 10.645.826 hectares, com um aumento de 225.402 hectares em relação à safra anterior.

O vice-coordenador do projeto, Mendelson Lima, doutor em Zoologia, destaca que o aumento da área plantada de soja no Mato Grosso ocorreu principalmente no bioma Amazônia com 144.074 hectares, representando 63,91% das novas áreas. No Cerrado, a expansão foi de 80.737 hectares e no Pantanal de apenas 592 hectares.

A agrônoma Francielle Tonietti Capilé Guedes, superintendente regional em Mato Grosso da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), frisou que o mapeamento da cultura da soja por meio da plataforma SojaMaps contribui com a estimativa de área e produtividade, oferecendo informações precisas sobre a distribuição geográfica em cada estado. “A estimativa de área e o resultado do mapeamento auxiliam na análise da informação declarada pelos nossos informantes, como um dado passível de verificação a campo. Já a estimativa de produtividade e o conhecimento da localização das áreas de cultivo possibilitam o monitoramento das áreas produtivas através de parâmetros agrometeorológicos oferecendo indicativos sobre a previsão de rendimento das lavouras. Assim, informações prévias sobre as condições do cultivo permitem ao governo planejar antecipadamente políticas de apoio à produção agropecuária”, destacou Francielle.

Neste ano, a plataforma apresenta novos dados para Mato Grosso como, por exemplo, evapotranspiração, precipitação, índice de área foliar, entre outros, fornecendo assim um acompanhamento detalhado do que está ocorrendo durante a safra e consequentemente influenciando na produção.

O reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, destacou que este tipo de ação é fundamental para a Universidade e instituições envolvidas, pois mostra mais uma vez o quanto a Unemat e as universidades públicas podem dar respostas para a sociedade e contribuir para o desenvolvimento sustentável, com conhecimento desenvolvido e aplicado pela Universidade.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink