VBP recua no Paraná

AGRICULTURA

VBP recua no Paraná

Agricultura contribuiu com quase metade do valor total, seguido por pecuária e setor florestal
Por:
499 acessos

Em 2018, o Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuário do Paraná alcançou R$ 89,7 bilhões, alta nominal de 5,24% em relação ao mesmo período anterior, de acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento (Seab). Porém, descontando os efeitos da inflação medida em dezembro do ano passado, com base no Índice Geral de Preços (IGP-DI) de Fundação Getúlio Vargas (FGV), houve recuo de 1,74% no VBP paranaense. Neste cenário, a agricultura segue como o principal segmento do VBP agro estadual, com R$ 43,4 bilhões, correspondente a 48,38% do total. Mesmo assim, em relação a 2017, houve recuo de 2,86%, em termos reais.

O VBP da pecuária alcançou R$ 41,9 bilhões, o que representa 46,69% do total. Também, no comparativo com 2017, recuo real de 1,04%. O setor florestal fechou em R$ 4,4 bilhões, aumento real de 7,14% sobre o período anterior, maior alta entre os grupos analisados.

Agricultura

Principal cultura na geração de valor de produção em 2018, a soja registrou alta 2,11% ante 2017, já descontado o efeito da inflação. Esse aumento tem explicação na valorização dos preços recebidos pelo produtor no ano passado. O preço médio da saca de 60 quilos alcançou R$ 72,33, alta de 11,9% em termos reais, ante 2017. A produção apresentou recuo de 3,51%, de 19,88 milhões de toneladas em 2017 para 19,18 milhões de toneladas em 2018, segundo levantamento do Deral.

Já o VBP do milho teve recuo de 13,44%, por conta da quebra de 33,3% no volume de produção total (safra de verão+safrinha). Mesmo a alta de 26,04% nos preços recebidos pelo produtor, em termos reais, não foi suficiente para compensar o recuo na produção e produtividade.

A cana-de-açúcar também experimentou recuo, por conta da queda no preço recebido pelo produtor e a queda na produção. Em 2018, o preço médio da tonelada de cana foi de R$ 66,62, segundo dados do Deral, valor 2,51% menor em relação à média do ano anterior. A produção recuou 5,95%, para 37,7 milhões de toneladas.

O trigo é o destaque positivo no VBP agrícola. Em função da baixa oferta do grão em 2018, os preços dispararam, ficando, na média, na casa dos R$ 42,18 a saca, alta nominal de 28,37% em relação ao ano anterior. Ainda, o avanço de 32,6% na produção em 2018 foi insuficiente para reequilibrar as condições de oferta e demanda.

A região Oeste se destaca como o maior polo agrícola paranaense, pois concentra 20% do valor bruto de produção da soja, 31% do VBP milho e 24% do trigo. Ou seja, mais de R$ 7,2 bilhões do VBP da agricultura estão no Oeste. A região Norte-Central, também bastante diversificada, aparece em seguida, com mais de 16% do VBP agrícola do Paraná. No Noroeste, a cana-de-açúcar é o destaque, com exatos R$ 1,28 bilhão. Mais de 51% do total do VBP da cultura está na região.

Pecuária

Na pecuária, a bovinocultura de corte registrou aumento real de 4,71%. Apesar da valorização da arroba bovina no segundo semestre de 2018, o preço médio anual foi 3,13% menor que período anterior em termos reais. A alta no VBP de bovinos ocorreu em função do aumento do volume abatido, segundo dados do Deral. Em 2018, 1,76 milhão de animais foram abatidos, contra 1,5 milhão no período anterior, alta de 17,2%.

A avicultura também experimentou valorização real no VBP em 2018, com alta de 6,63% no frango de corte, alcançando R$ 14,45 bilhões. Embora os abates tenham permanecidos praticamente estáveis, o preço pago ao produtor subiu no segundo semestre de 2018.

Na suinocultura houve retração em 2018, principalmente em função da redução do preço pago ao produtor. O grande destaque da pecuária foi a produção aquícola. O VBP do pescado de água doce subiu 14,1%, alcançando R$ 752 milhões em 2018. O volume abatido subiu 19,5%, para 138,8 mil toneladas. O Paraná é o principal produtor de peixes de cultivo do país, sendo a tilápia o carro-chefe, com 82% do total. Ainda, novos investimentos programados para os próximos anos, principalmente nas regiões Oeste e Norte, irão impulsionar mais um salto da piscicultura estadual.

Na pecuária, Oeste é o destaque, de forma concentrada, pois quase um terço do VBP da atividade está na região (R$ 13 bilhões). A suinocultura dos municípios do Oeste alcança 69% do valor bruto de produção do Estado, enquanto o VBP do frango de corte corresponde a 33% do total estadual, o leite a 20% e, ainda, 80% do VBP da tilápia.

Por região, o Oeste aparece como destaque, com 22,7% do VBP em 2018. A pecuária de corte é a principal atividade geradora de riquezas. Os municípios de Cascavel e Toledo lideram o VBP na mesorregião. Em seguida, com uma pauta bem diversificada de produtos está a região Norte-Central, com 13,5% do VBP do Paraná.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink