Queda de preços da cebola e anima consumidores

PREÇOS

Queda de preços da cebola e anima consumidores

Indispensável na culinária brasileira, a cebola consolidou o movimento de preços baixos no mercado atacadista
Por:
836 acessos

Indispensável na culinária brasileira, a cebola consolidou o movimento de preços baixos no mercado atacadista. A notícia dá um alívio para os apreciadores da hortaliça, que amargavam altas consecutivas desde novembro do ano passado. A pesquisa foi feita nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país e divulgada nesta quinta-feira (17), no Boletim Prohort da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Apesar de estarem mais baixos, os valores ainda estão longe das cotações do produto no mesmo período em 2017 e 2018. A comparação mostra que hoje a cebola está com mais de 100% de alta em relação aos anos anteriores.

O estudo do Prohort traz como referência os números do mercado atacadista no mês de setembro e analisa ainda outros produtos, como alface, batata, cenoura e o tomate. Este último, continua sendo o favorito nas listas de compras, devido às contínuas baixas de preço. O motivo ainda é a temperatura elevada, que apressa o amadurecimento do fruto e forçam os agricultores a colocarem rapidamente sua produção no mercado. Assim conseguem reduzir a perda nas lavouras, no entanto aumentam a oferta e o que pode diminuir sua margem de lucro.

De acordo com a pesquisa, a batata segue também com tendência de queda nos mercados analisados. O recuo nas cotações girou em torno de 20%, com exceção do Ceará, cujo percentual foi de apenas 7,13%. Na mesma linha, a cenoura barateou pelo terceiro mês consecutivo, com variação de 8,16% em Fortaleza e 33,73% em Brasília. Nessas hortaliças, a boa oferta explica-se pelo clima favorável e boa produtividade.

Frutas – Além de hortaliças, o Boletim traz também a análise de frutas. Nesta edição, o destaque foi o mamão, com queda no preço em todos os entrepostos atacadistas. A redução foi mais intensa para a variedade papaya do que para a formosa. Já com relação às exportações, o volume acumulado até setembro deste ano foi 12,18% maior do que o mesmo período em 2018. Os destaques neste comércio foram a manga, melão, limão, banana e melancia. Tiveram queda nas exportações a maçã e laranja.

Os dados do Prohort são coletados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Goiás, Ceará, Pernambuco e no Distrito Federal.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink