Preço do suíno cresce na maior parte dos estados nos últimos dias

Suínos

Preço do suíno cresce na maior parte dos estados nos últimos dias

Houve forte valorização do quilo do suíno vivo nos demais estados do Centro-Oeste e também do Sudeste
Por:
512 acessos

O quilo do suíno vivo registrou valorização nos últimos 15 dias, conforme dados das associações estaduais levantados pela Suinocultura Industrial. Dentre oito estados, apenas no Mato Grosso o preço teve queda, passando de R$ 3,38 para R$ 3,20 – na comparação entre 6 e 20 de fevereiro. Segundo Itamar Canossa, presidente da Associação dos Criadores de Suínos do Mato Grosso (Acrismat), os preços do suíno vivo estão variando entre R$ 3,10, na região Sul do estado, a R$ 3,20, na parte Norte. No entanto, na maioria dos casos foram de comercializações pelo preço menor.

Houve forte valorização do quilo do suíno vivo nos demais estados do Centro-Oeste e também do Sudeste. Em Goiás, os preços passaram de R$ 3,60, em 6 de fevereiro, para R$ 4,20, apurados nesta quarta-feira (20). A alta foi de 16,67%. No Distrito Federal, o aumento foi de 9,5%, com o quilo do suíno vivo passando de R$ 3,66 para R$ 4,01.

A Bolsa de Suínos em Minas Gerais fechou com o mesmo aumento verificado em Goiás, de 16,67%. Com isso, o quilo do suíno vivo passou a ser comercializado a R$ 4,20. O valor anterior era R$ 3,60.

Em São Paulo, o quilo do suíno vivo atingiu o preço maior de R$ 4,21. Houve uma valorização de 11,38%, em relação ao preço de R$ 3,78 apurado no dia 6 de fevereiro. Nos estados do Sul, Santa Catarina foi o que obteve maior valorização, de 9%. No caso, o quilo do animal vivo passou de R$ 3,32 para R$ 3,62.

A valorização do suíno no Rio Grande do Sul foi de quase 6%. O animal comercializado vivo custava R$ 3,55 por quilo e agora chegou a R$ 3,76. O Paraná é onde o animal está mais valorizado, a R$ 3,90 o quilo, embora tenha registrado somente 1,5% de aumento entre 6 e 20 de fevereiro. Todos os dados foram consultados nos sites das associações ou em entrevistas por telefone.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink