Nutrição de precisão é caminho para produção animal

Imagem: Divulgação

SUÍNOS

Nutrição de precisão é caminho para produção animal

Atualmente as dietas são feitas por fases de crescimento
Por: -Leonardo Gottems
244 acessos

O Professor Paulo Henrique Reis Furtado Campos, do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa, afirmou que a nutrição de precisão será o novo caminho para a produção animal. De acordo com ele, nos sistemas de produção as dietas são majoritariamente formuladas para maximizar o desempenho de um grupo de animais de acordo com a fase de desenvolvimento destes. 

 “Por exemplo, para suínos em crescimento, uma única dieta é geralmente fornecida para animais entre 30 e 50 kg e outra para animais entre 50 e 70 kg de peso vivo, sem considerar as interações animal-ambiente (condição sanitária das instalações, temperatura ambiente, fotoperíodo) e as características intrínsecas de cada indivíduo (estado de saúde,  taxa de crescimento, composição corporal, estado hormonal e metabólico)”, escreveu, em um texto publicado no portal especializado suinoculturaindustrial.com.br. 

Nesse cenário, a nutrição de precisão consiste no uso de informações e tecnologias para a formulação de dietas e fornecimento de nutrientes em qualidade e quantidade exatas ao estado fisiológico e às exigências de mantença e produção de cada indivíduo. “Ou seja, consiste em acertar na mosca na relação entre fornecimento de nutrientes (dieta) e exigência nutricional de cada animal”, completa. 

“Em termos de interação animal-ambiente, é evidente que os animais serão, cada vez mais, desafiados pelas altas temperaturas ambientais e desafios sanitários. Em resposta a uma inflamação e/ou doença, uma cascata de mecanismos de defesa são ativados para manutenção dos processos vitais e integridade do organismo. Dentre estes, podemos destacar a diminuição no consumo alimentar, aumento da temperatura corporal (febre), e redistribuição de nutrientes dos processos de crescimento e produção para aqueles associados aos mecanismos resposta inflamatória e imune”, conclui. 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink