Saúde animal - Doenças Periodontais em Pequenos Animais

Agronegócio

Saúde animal - Doenças Periodontais em Pequenos Animais

Saúde animal
Por:
159 acessos

O mau hálito é o primeiro sinal de algo não vai bem na boca do seu animal de estimação. Da mesma forma que os seres humanos, os pets das mais variadas espécies também estão sujeitos a diversos problemas bucais, tais como formação de placa bacteriana, gengivite, periodontite ou posicionamento incorreto dos dentes. A maioria está livre apenas das cáries, uma vez que o pH salivar é diferente do humano e a alimentação não costuma incluir açúcar.

Todos esses problemas desencadeiam dor e, conseqüentemente, mudam o comportamento do seu animal de estimação, que deixa de se alimentar e dormir corretamente e perde a vontade de brincar e interagir com a família. A boa noticia é que esses problemas podem ser prevenidos e tratados, evitando complicações mais graves à saúde de seu pet e devolvendo a ele sua antiga disposição e alegria.

A saúde começa pela boca

Em cães, gatos e ferrets as doenças periodontais são as mais freqüentes entre os animais adultos, explica a médica veterinária e cirurgiã dentista Michèle Venturini, da Clínica Odontovet, de São Paulo. "Cerca de 85% apresentam algum grau de problema periondontal, desde uma simples inflamação da gengiva (gengivite), que é reversível, até a destruição das estruturas que sustentam os dentes (periodontite), que é irreversível mas pode ser controlada". Cães de raças pequenas, tais como poodle ou maltês, são os mais sujeitos a esses problemas. Quanto mais cedo o animal receber tratamento, menos graves serão as conseqüências.

No caso de chinchilas, porquinhos-da-índia e coelhos, as consultas ao dentista veterinário costumam ser motivadas pelo crescimento contínuo dos dentes, o que é natural desses animais, mas pode provocar lesões internas na boca e levar à formação de abscessos dentários, explica a especialista. "Os dentes desses roedores crescem continuamente e se desgastam naturalmente. Porém, é comum acontecer o desgaste incorreto devido ao mau posicionamento dentário ou à alimentação inadequada. Nessas situações, é preciso fazer o desgaste artificial periodicamente, caso contrário o animal poderá até deixar de se alimentar devido à dor", alerta a especialista.

Prevenção e tratamento

A escovação diária dos dentes, usando creme dental e escova específicos para animais, é a melhor forma de prevenir a maior parte das afecções bucais em cães, gatos e ferrets. "Sem esse cuidado preventivo, formam-se camadas de placa bacteriana e tártaro calcificadas sobre os dentes", detalha a médica veterinária. Com isso, o animal pode vir a perder os dentes ou ainda ter que extrai-los. Oferecer courinhos para seu pet roer até ajuda a reduzir os problemas, mas não substitui a escovação diária. O ideal é começar a escovar os dentes do seu animal de estimação o mais cedo possível. Visitas periódicas ao médico veterinário também ajudam a evitar e controlar os problemas.

As infecções de origem bucal também podem se espalhar pelo organismo e causar infecções em diversos outros órgãos, como por exemplo, no coração (miocardite). No caso de animais que não permitem a escovação dos dentes, recomenda-se a limpeza periódica em clínicas veterinárias, sempre sob efeito de anestesia inalatória, que é a opção mais segura e eficiente em qualquer tipo de procedimento.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink