Silagem de grãos úmidos de sorgo de alto ou de baixo conteúdo de tanino para frangos de corte


Agronegócio

Silagem de grãos úmidos de sorgo de alto ou de baixo conteúdo de tanino para frangos de corte

Por:
10 acessos
 
Foram realizados dois experimentos com o objetivo de avaliar a utilização da silagem de grãos úmidos de sorgo (SGUS) de alto ou baixo conteúdo de tanino na alimentação de frangos de corte. No ensaio de digestibilidade, foram utilizadas 90 aves de 20 dias de idade, distribuídas em um delineamento experimental inteiramente casualizado, com três tratamentos, seis repetições e cinco aves por unidade experimental. Os valores de matéria seca (MSM), matéria orgânica (MOM), proteína (PM), amido (AMM) e energia metabolizáveis (EM) na matéria natural (66,22% de MS para a SGUS de alto tanino e 65,28% para a SGUS de baixo tanino) foram, respectivamente, de 57,29; 56,96; 4,45; 35,27% e 2.408 kcal.kg-¹ para a SGUS de alto tanino e de 60,42; 59,95; 5,11; 39,58%; e 2.578 kcal.kg-¹ para a SGUS de baixo tanino. No ensaio de desempenho,  foram utilizados 840 pintos de um dia  de idade,  distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado, com sete tratamentos, quatro repetições e trinta aves por unidade experimental. Os tratamentos consistiram de uma ração à base de milho e farelo de soja e de seis  rações  com 33, 66 e 100% de substituição do milho por SGUS de alto ou baixo tanino. A inclusão de níveis crescentes de SGUS com alto tanino piorou linearmente o peso  vivo, o  consumo de ração, o ganho de peso e a conversão alimentar aos 40 dias de idade,  não se observando o mesmo  efeito para a  SGUS de baixo tanino. As aves que receberam ração com SGUS de alto tanino nos níveis de 66 e 100% de substituição apresentaram, aos 40 dias de idade, menor peso vivo e ganho de peso. Observou-se decréscimo linear na coloração da perna das aves com a inclusão de SGUS nas rações. A silagem de grão úmido de sorgo de alto tanino pode substituir até 33% e a de baixo tanino,  até 100% do  milho em rações para frangos de corte, sem prejudicar o desempenho e proporcionando  menor custo por quilograma de frango produzido.
 
Veja o artigo na integra clicando aqui.
 
Autores: Livia Carla Grigoletto Barcellos, Antonio Claudio Furlan, Alice Eiko Murakami, Marcos Augusto Alves da Silva, Ronaldo Martins da Silva.

 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink