Agronegócio

Bayer CropScience lança CropStar para 10 culturas

Inseticida é registrado para culturas importantes como soja, algodão e trigo
Inseticida líder entre os tratamentos de sementes de milho, o produto é registrado para culturas importantes como soja, algodão e trigo

A Bayer CropScience, empresa líder no mercado de tratamento de sementes no Brasil, acaba de obter o registro para extensão de uso do inseticida CropStar para 10 culturas: soja, algodão, trigo, feijão, arroz, amendoim, cereais de inverno, girassol, mamona e sorgo. Até então, o produto era utilizado apenas no milho.


“É uma importante novidade, pois a partir de agora produtores de diversas culturas terão acesso aos benefícios de CropStar, principalmente no controle simultâneo de lagartas, pragas sugadoras e nematoides que geram preocupação aos agricultores de diversas regiões. CropStar é o único produto que controla e protege estas culturas contra todas essas pragas”, afirma Luis Henrique Feijó, gerente de portfólio Tratamento de Sementes da Bayer CropScience.


CropStar é um inseticida de uso exclusivo para tratamento de sementes e seu grande diferencial é o controle conjunto de pragas sugadoras, mastigadoras (lagartas) e nematoides.

A novidade vem atender a uma crescente demanda dos produtores rurais, que estão mais conscientes sobre a importância de realizar o tratamento de sementes. “Cada vez mais o tratamento de sementes é consenso entre os produtores. Pesquisas demonstram que alguns inseticidas e fungicidas, além de eficazes, proporcionam maior crescimento das plantas, fazendo com que a biomassa da parte aérea e das raízes seja maior, o que aumenta o aproveitamento dos nutrientes e da água. Além disso, uma planta mais vigorosa e com maior taxa de crescimento possibilita o fechamento das entrelinhas de forma mais rápida, o que minimiza a mato-competição”, afirma o engenheiro agrônomo Gustavo Pazzetti, professor Titular de Fisiologia Vegetal e Nutrição de Plantas da Universidade de Rio Verde (Fesurv) de Goiás.


De acordo com a Embrapa Soja, para a cultura da soja, o tratamento de sementes representa apenas 0,6% do custo da produção. Caso seja necessário fazer o replantio, o gasto é de 11,4% do custo de produção. “A partir destes dados é possível concluir que, financeiramente, o tratamento de sementes é vantajoso. Nosso objetivo é oferecer produtos cada vez mais inovadores, e CropStar é um ótimo exemplo disso”, finaliza Feijó. As informações são de assessoria de imprensa.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é ser necessário ser cadastrado
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos