Agronegócio

Fertilidade

Por: -Admin
322 acessos

Fertilidade

As indicações para correção da acidez de solo e de fertilidade são baseadas em resultados de análises químicas de solo. Devido a isso, a amostra de solo deve ser representativa das condições da lavoura. As quantidades indicadas de calcário e de fertilizantes pressupõem que os demais fatores que influenciam a produção estejam em níveis satisfatórios. As doses indicadas objetivam a obtenção de retorno econômico máximo, em função do uso desses insumos na cultura.

 

Nitrogênio
O milho é uma cultura que remove grandes quantidades de nitrogênio e usualmente requer o uso de adubação nitrogenada em cobertura para complementar a quantidade suprida pelo solo, quando se desejam produtividades elevadas. De uma forma geral, a cultura mostra resposta à adubação nitrogenada sob diversas condições de solo, clima e sistemas de cultivo.

A quantidade de fertilizante nitrogenado a ser aplicada varia, basicamente, em função do teor de matéria orgânica do solo, do histórico da área (culturas precedentes) e da expectativa de produtividade esperada para a cultura.

Do ponto de vista econômico e ambiental, a dose de nitrogênio a aplicar é, para muitos, a mais importante decisão no manejo do fertilizante. Em função da crescente adoção do sistema de plantio direto no Brasil, e a necessidade de utilizar culturas de cobertura e rotação de culturas, visando à sustentabilidade desse sistema, são aspectos que devem ser considerados na otimização da adubação nitrogenada.

A recomendação da adubação nitrogenada em cobertura para a cultura do milho, de modo geral, varia de 40 a 80 kg ha.

Em agricultura irrigada, em que prevalece o uso de alta tecnologia, a recomendação de nitrogênio seria entre 100 a 150 kg ha.   

Quanto a aplicação, no Brasil existe o conceito generalizado entre técnicos e produtores de que a adubação nitrogenada deve ser parcelada no maior número de vezes visando o aumento da eficiência do uso do nitrogênio e a redução das perdas, principalmente por lixiviação.

 

Fósforo
As doses de fósforo normalmente recomendadas para aplicação são elevadas, em função da baixa eficiência (20 a 30%) de aproveitamento desse nutriente pela cultura. A análise do solo é fundamental para indicar, com base nas recomendações técnicas para a cultura, os potenciais de respostas do milho à adubação fosfatada. Além disto, a interpretação da análise de solo e a recomendação da adubação fosfatada, para milho grão, se dão com base no rendimento esperado.

 

Potássio
Depois do nitrogênio, o potássio é o elemento absorvido em maiores quantidades pelo milho, sendo que, em média, 30% são exportados para os grãos. De foram similar ao fósforo, a análise do solo tem-se mostrado útil para discriminar respostas do milho à adubação potássica.

 

José Luis da Silva Nunes

Eng. Agrº, Dr. em Fitotecnia

 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink