7 dicas para o manejo do cultivo do Trigo

Agronegócio

7 dicas para o manejo do cultivo do Trigo

O trigo é o grande destaque da safra de inverno de 2016 do Brasil
Por:
387 acessos

O trigo é o grande destaque da safra de inverno de 2016 do Brasil. A produção do cereal deve atingir 6,3 milhões de toneladas, ou seja, 14,5% superior à safra passada, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O trigo é cultivado nas regiões Sul (RS, SC e PR), Sudeste (SP e MG) e Centro-Oeste (MS, GO e DF), sendo que cerca de 90% da produção está concentrada no Sul do país. Entretanto, o cereal vem sendo introduzido na região do cerrado, sob irrigação ou sequeiro.
 
Em consequência da diversidade de regiões em que o trigo é cultivado, várias espécies daninhas geram perdas na produtividade e rentabilidade da cultura. Para assegurar uma colheita satisfatória e de qualidade, a FMC disponibiliza dicas aos produtores de trigo que, assim como a empresa, visam produzir mais e melhor. 
 
Semeadura
 
A semeadura deve ser realizada no período indicado para cada município, de acordo com o zoneamento agrícola para a cultura do trigo. As portarias atualizadas do Zoneamento Agrícola de Risco Climático para trigo, nas diferentes unidades da Federação, podem ser encontradas no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) na área de Serviços, item Zoneamento Agrícola.
 
Métodos preventivos 
 
Consistem em evitar a entrada de plantas daninhas no terreno, bem como sua disseminação. Esses métodos são essenciais nos programas de manejo de plantas daninhas. Embora necessitem da atenção do produtor, são medidas eficientes e de baixo custo. Para isso, é preciso limpar as máquinas e equipamentos antes de transferi-los de áreas infestadas para áreas limpas, realizar a manutenção das áreas próximas da lavoura livres de plantas daninhas, como em cercas e bordas de lavouras, e evitar que as plantas daninhas produzam sementes ou se reproduzam. 
 
Manejo
 
O manejo e o controle das plantas daninhas na cultura são realizados por sistemas preventivos, culturais e químicos, que devem ser feitos de forma integrada. O manejo integrado é a adoção conjunta de estratégias de controle. O sistema tem início com escolha das cultivares, optando pelas que possuem bom potencial produtivo e resistência às principais doenças, tratamento das sementes e aplicação correta de defensivos agrícolas, seguindo a recomendação e o acompanhamento de um responsável técnico.
 
Competitividade
 
A competição cultural é baseada em fornecer subsídios para que a cultura se estabeleça bem, com desenvolvimento rápido e vigoroso, competindo eficientemente por água, luz e nutrientes. Diversos fatores contribuem para isso, se destacam a semeadura sem a presença de plantas daninhas, a adubação correta, o uso de sementes de boa qualidade e de cultivares bem adaptadas, além da densidade, do período e da profundidade de semeadura dentro dos níveis ao cultivar utilizado. 
 
Redução de plantas daninhas 
 

A redução da população de plantas daninhas pode ser obtida por meio da variação do período de implantação da cultura, atrasando assim, a semeadura. Dessa forma, grande proporção de plantas daninhas germina, sendo manejada antes da semeadura do trigo, reduzindo a infestação durante o ciclo da cultura.
 
Defensivos agrícolas
 
Os defensivos agrícolas são o método mais utilizado para o controle de plantas daninhas em cereais. O controle é adotado mais rapidamente e eficientemente quando esse método é utilizado. 
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink