Alltech do Brasil investe em nova indústria no Sul


Agronegócio

Alltech do Brasil investe em nova indústria no Sul

Por:
7 acessos

A Alltech do Brasil, multinacional norte-americana que fabrica aditivos para nutrição e saúde animal, está transferindo sua produção para novas instalação em Araucária, região metropolitana de Curitiba. A companhia está investindo US$ 2,5 milhões na operação e com isso deverá ter também aumento 50% na capacidade de produção, que deve chegar a 1,5 mil toneladas mensais.

Segundo o diretor da Alltech, Guilherme Minozzo, a expectativa é de que a unidade esteja em plena atividade ainda no primeiro semestre de 2003. "Metade dos recursos já foram investidos. O restante será aplicado ao longo desse semestre para adequar as instalações e implantar os sistemas de produção." Cerca de 70% dos recursos serão financiados pelo banco HSBC e o restante será representado por capital próprio.

"Estamos mudando para concentrar a produção que estava distribuída em cinco galpões na Cidade Industrial de Curitiba (CIC)", disse. As vendas da companhia, diz ele, vem crescendo em média nos últimos anos de 18% ao ano, descontada a inflação.

A Altech está presente em mais de 60 países e tem produção no Brasil há dez anos. A empresa é especializada na produção de aditivos para rações animais, especialmente aves, suínos, bovinos (corte e leite), pequenos animais e eqüinos. Tratam-se de ingredientes visando melhor nutrição e controle de saúde. "Trabalhamos com produtos naturais que não deixam resíduos químicos nos alimentos finais (carnes, ovos, leite) e por isso de grande aceitação internacional."

A empresa fornece às indústrias extensa linha de minerais orgânicos, enzimas e leveduras. Uma pequena fração desses produtos (de 100 gramas a um quilo por toneladas de ração, conforme o tipo de produto) são adicionadas às rações animais. "Há dois anos iniciamos exportações para países das Américas do Sul, Central e EUA. Essas vendas somam hoje 12% da produção."

A estimativa do executivo é de que o faturamento da empresa esse ano suba 13%, de R$ 53 milhões para cerca de R$ 60 milhões.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink