Café do norte pioneiro do Paraná chega ao mercado internacional

Agronegócio

Café do norte pioneiro do Paraná chega ao mercado internacional

A visita de estrangeiros durante as edições da FICAFE estreitaram a relação dos produtores
Por: -Joana
1428 acessos
Produtores de café do Norte Pioneiro do Paraná estão otimistas com a exportação do produto para países como Espanha, Japão e Canadá. O Paraná, que já ostentou o título de maior produtor brasileiro na década de 70, começa a retomar a atuação no mercado internacional, agora, com os cafés especiais.


A negociação com os estrangeiros iniciou em 2009, quando o Norte Pioneiro recebeu a primeira missão comercial espanhola com apoio do Núcleo Internacional Brasil de Negócios (NIN Brasil) e do Sebrae/PR. A segunda visita aconteceu em novembro de 2010. Compradores estrangeiros vieram para o Paraná para conhecer melhor as propriedades e para participar da FICAFE - Feira Internacional de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná. Naquela ocasião, sete espanhóis, um canadense e um japonês percorreram fazendas nas cidades de Carlópolis, Ribeirão Claro, Jacarezinho, Cornélio Procópio e Santa Mariana.

Thiago Amhof, presidente do NIN Brasil, explica que a promoção das missões comerciais conseguiu cumprir o objetivo de tornar a o Norte Pioneiro do Paraná como uma referência na produção de cafés especiais. “Considero esse momento como um marco para a região, conhecida no passado como grande produtora de café comodity. Depois de um intervalo de alguns anos, o Porto de Paranaguá, no Paraná, voltou a exportar café. Em fevereiro desse ano, um contêiner de café especial seguiu para a Espanha. O produto já está no mercado e teve a qualidade testada e aprovada pelos espanhóis, um dos maiores compradores do mundo”, afirmou.

Marco Cravo, proprietário da Fazenda Pilar, em Cornélio Procópio, vendeu 320 sacas de café especial para um comprador espanhol, durante a FICAFE 2010. A expectativa é de comercializar mais após a colheita da próxima safra, no final do primeiro semestre de 2011. Para ele, a visita da comitiva da Espanha estreitou as relações comerciais entre os compradores daquele país e produtores do Norte Pioneiro. “As visitas e a primeira compra serviram para os estrangeiros avaliarem a qualidade do café brasileiro. Estamos ganhando credibilidade e esse fator está abrindo um novo canal de vendas”, diz.


A Rodada Internacional de Negócios realizada durante a FICAFE 2010 também rendeu bons frutos para o produtor Luiz Roberto Saldanha Rodrigues, da Fazenda Califórnia, em Jacarezinho. Na ocasião, a propriedade recebeu a visita de representantes da rede japonesa de cafeterias Horiguchi Coffee e da canadense da Phill & Sebastian.

Saldanha Rodrigues comenta que os lotes adquiridos apresentaram preços com diferenciais de valores acima da Bolsa de Nova York. Trata-se de cafés certificados pelo protocolo Utz Certified e com pontuações entre 85 e 90 pontos na metodologia SCAA (Associação de Cafés Especiais da América, na sigla em inglês), ou seja, além de especiais, são considerados como Cafés Origem.

Para o proprietário da Fazenda Califórnia, a grande importância da negociação com os canadenses e japoneses é que esses dois clientes trabalham apenas com os melhores produtos do segmento de cafés especiais no mundo. “A exportação é uma forma de reconhecimento. Nossos lotes estão sendo aprovados pelo rigoroso controle de qualidade de nossos novos parceiros. Nosso produto será trabalhado tanto no Japão quanto no Canadá como um café single, sem fazer blend ou mistura com outros cafés, sendo reconhecido como um produto Origem Norte Pioneiro do Paraná”, enfatiza.


As visitas dos compradores internacionais abriram as porteiras das propriedades do Norte Pioneiro para as exportações. Na ocasião, os estrangeiros tiveram a oportunidade de visualizar o sistema produtivo como um todo - manejo do solo, manejo de pragas e doenças, manejo de resíduos, técnicas de colheita e pós-colheita, além de análise dos aspectos de responsabilidade sócio-ambiental empregadas pelos produtores.

Os compradores também assistiram a uma apresentação institucional sobre o Projeto Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná e participaram das rodadas de degustação comentada e a interação com os produtores da região durante a FICAFE 2101. “Dessa aproximação surgiu a seleção de vários lotes de cafés especiais de altíssima qualidade dos quais ambos levaram as amostras para seus respectivos países, submetendo-as a seus próprios processos de controle de qualidade, como análise física e sensorial com diferentes pontos e curvas de torra, para então se dar a escolha final dos lotes”, acrescenta Luiz Roberto Saldanha Rodrigues.

Ele relata ainda que os compradores internacionais de cafés especiais que viajaram até o Norte Pioneiro do Paraná estavam interessados em comprar um conceito e não apenas um produto. “Esse fator explica a importância da visita à origem produtora e o conhecimento de seus personagens para que uma história possa ser contada através daquele lote de café tão especial”, salienta.


De acordo com Odemir Capello, gestor do Programa de Cafés Especiais, criado pelo Sebrae/PR, a recepção fez parte do projeto de revitalização do norte pioneiro do Paraná, como uma região produtora de café de qualidade. “Foi uma ação muito importante que permitiu para os compradores conhecerem a origem do nosso grão e a infraestrutura das fazendas. A visita às propriedades é uma estratégia de negócios, uma vez que os estrangeiros aproveitam essa oportunidade para avaliar as fazendas e perceber que os produtores do Norte Pioneiro têm condições de atender a demanda do mercado internacional de forma contínua”, ressalta.

As informações são da Savannah Comunicação Integrada


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink