Milho

Conab recompõe estoque público de milho

Produção brasileira de milho atingiu o recorde histórico de 97,2 milhões de t na safra 2016/17
Por:
87 acessos

Os estoques públicos de milho tiveram um aumento de 859.572 toneladas. A recomposição se deve pelo exercício de 31.836 Contratos de Opção de Venda (COV) lançados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no primeiro semestre deste ano para produtores do Mato Grosso. Com isso, o atual estoque público de milho é de 1,19 milhão de toneladas.

A produção brasileira de milho atingiu o recorde histórico de 97,2 milhões de t na safra 2016/17. O cenário de uma ampla oferta do grão, tanto nacional quanto internacional, fez com que o preço do produto caísse abaixo do mínimo fixado pelo governo federal no Centro-Oeste, principalmente no Mato Grosso.

Com isso, o governo federal autorizou, por meio da Resolução nº 5 de 4 de Abril de 2017 e da publicação da Portaria Interministerial nº 799, a Conab ofertar Contratos de Opção de Venda. Coercializados por meio de leilão, os documentos davam aos produtores a possibilidade de vender  milho das safras 2016/17 e 2017 para o governo federal, em 15 de setembro, ao preço de R$ 17,87 a saca de 60 kg.

Ao todo, foram realizados 5 leilões de contratos de opção em maio e junho deste ano, nos quais o governo sinalizou com a compra de 999 mil toneladas de milho, com recursos da ordem de R$ 298 milhões. Todos os contratos foram comercializados. Em setembro, data do exercício, os adquirentes optaram por vender um total de 859.572 toneladas para a Companhia.

Outras ações – O esforço conjunto da Conab e do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) permitiu a adoção de ações tempestivas de sustentação de preço. Além do COV, o governo federal lançou operações de subvenção por meio do Prêmio para o Escoamento (PEP), voltado para a indústria, e do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), destravando negociações, dando fluxo à comercialização e garantindo a rentabilidade do produtor rural na região Centro-Oeste.

Desde abril deste ano, foram realizados 17 leilões de PEP e 17 de Pepro. O total ofertado para o PEP foi para 3,95 milhões de toneladas, onde foram negociadas 1,93 milhão de t. Já para o Pepro, a quantidade total ofertada foi para 9,92 milhões, com apoio negociado para 7,2 milhões de t.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink