Agronegócio

Custo de produção de soja no MT é maior em Sorriso que em Sinop

As estimativas de custo total ficaram em R$ 1.380,00/ha em Sinop, R$ 1.463,00/ha em Sorriso
Por: -Ângela Fogaça
1 acessos

Os produtores do Nortão do Mato Grosso já terminaram o plantio da soja e a expectativa agora se volta para o clima nos próximos meses. Conforme a equipe técnica do Instituto Mato-grossense de Economia Agrícola (Imea), por enquanto a chuva tem sido constante em quase todo o Estado, aumentando a preocupação e os cuidados no controle da ferrugem.

As regiões de Campo Novo do Parecis, Sapezal, Primavera do Leste, Campo Verde, Lucas do Rio Verde, Ipiranga do Norte, Rondonópolis, Nova Mutum, Sinop, Sorriso e Tapurah já finalizaram o plantio e o desenvolvimento da cultura encontra-se, em média, com 20% em fase de enchimento de grão, 50% em fase de florescimento e o restante ainda em fase de germinação.

No levantamento de custos da safra 2005/06 realizados pelo Imea em parceria com o Cepea, as estimativas de custo total ficaram em R$ 1.380,00/ha em Sinop, R$1.463,00/ha em Sorriso e R$ 1.462,00 em Campo Novo do Parecis. Mantidas as produtividades constantes, os preços de nivelamento (que igualam receita total com despesa

total) devem ser de R$ 25,20 sacas em Sinop, R$ 27,28 em Sorriso e R$ 33,50 em Campo Novo do Parecis.

Anamaria Gaudencio Martins - economista do Imea, destacou que as negociações antecipadas (futuras) marcaram a comercialização de soja nesta safra. O bom desempenho do grão na bolsa de Chicago, que tem sido impulsionado principalmente pelo mercado do milho, possibilitou aos produtores garantirem preços mais firmes para o próximo ano. Além disso, a alta das cotações do milho no mercado nacional e internacional deve impulsionar uma comercialização antecipada da produção da safra que se inicia em fevereiro.

"Mesmo diante de um cenário de preços melhores, os produtores de soja ainda terão um ano de baixa liquidez e redução de investimentos. As renegociações de dívidas que ocorreram esse ano já começam a vencer no ano que vem, mas a maior parte da dívida começa a vencer em 2008, cenário que posterga a recuperação do setor, diante dos custos de produção que permanecem altos", destacou ela.

Apesar de toda a expectativa de preços internacionais elevados para a próxima safra, o fator custo de produção continuará sendo o principal gargalo da produção de soja no estado de Mato Grosso, visto que as expectativas para o mercado de câmbio não agradam ao setor exportador.

O câmbio valorizado é fator importante no controle da inflação. A falta de investimentos nos setores produtivos, acompanhada pelo aumento do crédito a população em geral, precisa ser suprida pelas importações para evitar pressões inflacionárias e essas importações são facilitadas pelo câmbio baixo. "Desta forma, a próxima safra de soja vai ser marcada pela recuperação de preços internacionais e pelo aperfeiçoamento do sistema visando à redução dos custos de produção", destacou a equipe do Imea.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink