É tempo de vacinar o rebanho contra clostridioses

Agronegócio

É tempo de vacinar o rebanho contra clostridioses

Vacinação é a melhor forma de evitar as doenças que podem levar animais à morte em poucos dias
Por:
2512 acessos

Vacinação é a melhor forma de evitar as doenças que podem levar animais à morte em poucos dias

Começa em novembro a vacinação obrigatória contra a febre aftosa dos rebanhos brasileiros. O manejo do gado para imunização é uma oportunidade para que os pecuaristas apliquem também a vacina contra as clostridioses, que protege os animais contra um grupo de doenças infectocontagiosas bastante comuns e que podem aniquilar um rebanho em questão de dias.

“Como o manejo para vacinação é dispendioso e exige logística especial para isolar os animais, os pecuaristas aproveitam a vacinação contra a aftosa para imunizar também contra as clostridioses e oferecer vermífugos”, explica a médica veterinária Juliana Moreira Camargo, gerente técnica da Venco Saúde Animal, sediada em Londrina e com atuação no setor de vacinas e medicamentos veterinários.

Botulismo, “manqueira”, tétano e gangrena gasosa são algumas das doenças mais comuns causadas por essas bactérias de nome complicado, os clostrídios. “É um grupo de bactérias anaeróbias, ou seja, que se multiplicam na ausência do ar e que são gram-positivas, esporuladas e produtoras de toxinas”, explica Juliana.

 Presentes no solo e no tubo digestivo dos animais, elas tornam-se ameaças quando encontram condições adequadas para se reproduzir, o que pode ser provocado por estresse, manejo alimentar, lesões desencadeadas por manejo de rotina (cirurgias, parto), parasitismo, alimento ou água de má qualidade. As doenças causadas por clostrídios costumam levar o animal à morte em até 72 horas.

“Os bovinos acometidos podem até ser tratados com antibióticos, terapia suporte e soro contra toxina, quando disponível. Porém, o tratamento é caro e pode tornar-se inviável em situações de surto, pondera a médica veterinária. As clostridioses são agressivas e provocam a morte tanto de bovinos de corte quanto de leite, confinados ou no pasto, bezerros ou adultos.

Juliana lembra que a vacinação é a forma mais eficaz de proteger contra as doenças, mas reforça que, seja qual for o sistema de produção, os animais têm que viver em boas condições, o que implica em boa alimentação, ambiente limpo e desinfetado, sem restos de alimentos ou cadáveres em decomposição e condições sanitárias com protocolos vacinais seguidos à risca.

A vacina contra as clostridioses é aplicada em duas doses, com intervalo de 30 dias, em animais que nunca foram imunizados, com reforço anual de uma dose. A vacina Excell 10, da Venco, protege contra as principais clostridioses que acometem bovinos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink