Emater/RS-Ascar alerta para nova praga em Tarde de Florestas

Agronegócio

Emater/RS-Ascar alerta para nova praga em Tarde de Florestas

Produtores e outros profissionais da Instituição sobre cultivo, manejo, controle de pragas e legislação ambiental
Por: -Janice
402 acessos

O técnico da Emater/RS-Ascar, Ilvandro Barreto de Melo, orientou produtores e outros profissionais da Instituição sobre cultivo, manejo, controle de pragas, legislação ambiental em Tarde de Florestas . As orientações foram repassadas na propriedade do produtor João Constante Sartori, em Faxinalzinho, na sexta-feira (21), onde são cultivados sete hectares de eucaliptos, com cerca de 30 mil mudas.

De acordo com Melo, existem mais de 700 espécies de eucaliptos, mas a grande maioria é para cultivo em clima quente. Entre as resistes ao frio, o técnico cita a Viminalis, Grandis e a Dunnii. Também destacou a espécie Bentano, que tem um crescimento muito bom e é resistente a baixa temperatura. Ele orientou, ainda, sobre os eucaliptos mais indicados para lenha, carvão, laminados, madeira entre outras finalidades. Melo observou ainda que as espécies Badjensi e Benthamii precisam ainda de melhorias genéticas e que a Emater/RS-Ascar está fazendo estudos genéticos destas duas variedades.

O técnico chamou a atenção para a importância da qualidade das mudas, do manejo adequado, e do controle de invasoras, principalmente as formigas. “O controle das formigas deve ser feito antes do plantio das florestas, sendo os meses de abril, maio, julho e agosto os mais indicados para esta prática.” No entanto, alertou os produtores para uma nova praga, que foi detectada recentemente no Brasil e está atingindo as florestas. Trata-se do percevejo bronzeado, que suga a seiva e causa o amarelamento e posterior queda das folhas.

Quanto ao espaçamento, a indicação é de três metros entre as filas e de dois entre as plantas, ou seja, de 1.666 plantas por hectare. Em relação ao mercado, o produto, tem que estar direcionado para o mercado já definido para tábua, lenha ou laminado. O desrame adequado, que evita que a madeira seja produzida com nó, também vai ajudar no momento da comercialização. “Por isso, temos que agregar valor de venda ainda na floresta”, ressaltou.

No Brasil, são 5,6 milhões de hectares de áreas plantadas e, no Rio Grande do Sul, a área é de cerca de 400 mil hectares de pinus e eucalipto. Na região de Erechim, o florestamento e o reflorestamento vêm sendo uma das ações prioritárias da Emater/RS-Ascar na região administrativas de Erechim. A atividade faz parte da Frente Programática Oportunidade do Agronegócio da Emater/RS-Ascar, desenvolvida em conjunto com os Programas Estruturantes do Governo do Estado.

A Tarde de Campo em Florestas foi promovida pela Emater/RS-Ascar, Sicredi, Cotrel, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Secretaria Municipal de Agricultura de Faxinalzinho. O evento foi acompanhado também pelo gerente adjunto regional, Theodoro Tedesco Neto, pelo produtor João Constante Sartori e sua esposa Acelia Zoortiori, que cederam a propriedade para as orientações e pelos técnicos do Escritório Municipal de Faxinalzinho. As informações são da assessoria de imprensa da Emater/RS-Ascar – Escritório Regional de Erechim.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink