Entidades do agronegócio baiano reúnem-se na Embrapa

Agronegócio

Entidades do agronegócio baiano reúnem-se na Embrapa

Encontro terá como tema de debate a reestruturação do sistema estadual de pesquisa agropecuária e transferência de tecnologia
Por: -Janice
385 acessos

Na próxima segunda-feira, 17 de agosto, às 8h30, representantes de instituições ligadas ao agronegócio baiano reúnem-se na Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical (Cruz das Almas - BA), para discutir a reestruturação do sistema estadual de pesquisa agropecuária e transferência de tecnologia.

Este é o principal ponto crítico levantado pelo grupo temático “Pesquisa, desenvolvimento e inovação, propriedade intelectual, transferência de tecnologia, extensão rural e educação” (GT2) do Fórum Permanente de Debates sobre o Desenvolvimento Sustentável do Agronegócio Baiano, criado em setembro de 2008 pela Superintendência Federal da Agricultura (SFA) na Bahia.

“Oito pontos críticos foram encontrados pelos membros do grupo, mas a desestruturação do sistema estadual de pesquisa e transferência de tecnologia e a insuficiente integração/articulação entre as instituições de PD&I locais, regionais e nacionais foram considerados os mais graves, uma vez que afetam todos os demais”, afirma o pesquisador Jorge Loyola, representante da Embrapa e coordenador do GT2.

Potencialidades

“Precisamos organizar o sistema de instituições que atuam no meio agropecuário para que possamos atender adequadamente as demandas do setor. Por outro lado, temos muitas potencialidades, como a existência de três biomas (mata atlântica, caatinga e cerrado), de setores com cadeias estruturadas, de programas estaduais e federais e de uma demanda crescente por produtos agrícolas”, explica Loyola.

Além da Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, o GT2 é formado por Superintendência Federal da Agricultura (SFA), Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Institutos Federais da Bahia (IF), Organização de Cooperativas do Estado da Bahia (Oceb), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (Secti) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

Os outros cinco grupos temáticos são: Questões fundiárias, de crédito, mitigadores de risco; Meio ambiente e recursos naturais; Informação agropecuária, mercado e atração de investimentos, comercialização e abastecimento; Defesa agropecuária; e Cooperativismo, associativismo e o trabalho no campo.

As próximas reuniões do GT2 estão agendadas para 29/9, 28/10, 26/11 e 29/12. As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink