Feijão de 3ª safra requer atenção do produtor rural

Manejo

Feijão de 3ª safra requer atenção do produtor rural

Manejo é determinante e evita perdas
Por:
3938 acessos

Nesta época do ano, o plantio do feijão de 3ª safra, conhecido como safrinha ou irrigado, ganha espaço. A cultura necessita de atenção especial de técnicos e produtores por se tratar de uma lavoura de alto custo de produção. O manejo de doenças é determinante e pode evitar perdas de até 100% na produtividade. Tecnologias que auxiliem o produtor a tomar decisões também são imprescindíveis para alcançar bons resultados. 
 
O engenheiro agrônomo e gerente nacional de pesquisa e desenvolvimento da empresa Satis, Aedyl Lauar, ressalta que o produtor deve fazer um manejo nutricional, fisiológico e fitossanitário muito bem feito para obter altas produtividades. Dentre os fatores vitais para o sucesso do feijão safrinha, o engenheiro agrônomo destaca inicialmente a correção de solo com adubação correta, pois a cultura é altamente exigente em equilíbrio nutricional. 
 
As sementes também exigem tratamento com produtos adequados e em doses específicas. A medida visa atender a possíveis problemas historicamente comprovados nas áreas em que serão plantadas, assim como as adubações complementares e o controle efetivo de pragas, doenças e nematoides. 
 
Manejo de doenças
 
Dos cuidados fundamentais para o cultivo do feijão safrinha, Aedyl Lauar destaca em especial o manejo das principais doenças que acometem a espécie. A começar pela Podridão de Raízes, que pode provocar perdas de 40% a 70% na produtividade. Causada por fungos como o Fusarium e o Rhizoctonia, gera grande mortalidade inicial das plantas. Para este problema, a Satis desenvolveu as soluções Fulland e Sturdy, que agem protegendo o sistema radicular das plantas e estimulando o seu desenvolvimento.
 
Causado pelo fungo Sclerotinia Sclerotiorum, o Mofo Branco é uma das doenças mais complicadas e difíceis de ser manejada. Exige tratamento especial, com produtos, dosagem e intervalos de aplicações específicos. Segundo Aedyl, esta doença pode condenar toda a produtividade de uma lavoura. Para combater o Mofo Branco, a solução Fulland auxilia no manejo junto com os defensivos específicos, aumentando significativamente o nível de controle.
 
Outro problema comum é a Morte Súbita de Plantas, que acontece após o início do período reprodutivo, sendo causada pelos patógenos Fusarium Oxysporum, Sclerotium Rolfsii, Curtobacterium, entre outros. Seu impacto na produtividade da lavoura gira entorno de 20% a 40%. O engenheiro agrônomo ainda destaca as Bacterioses, doenças causadas por bactérias que vem incidindo cada vez mais nos últimos anos. “Devido a algumas mudanças no controle fitossanitário de outras doenças, o produtor não está dando a devida atenção a estas bactérias. Portanto, temos observado perdas em torno de 15% a 20% nas produtividades”. Tanto para casos de patógenos quanto de ba cterioses, também indica o uso da solução Fulland, pois além de ser uma fonte de cobre altamente sistêmico, atua no fortalecimento fisiológico das plantas.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink