Novos produtos biológicos ganham registro no Brasil

NOVIDADE

Novos produtos biológicos ganham registro no Brasil

"O Brasil tem alto potencial produtivo e as perdas por nematoides são muito grandes"
Por: -Leonardo Gottems
1531 acessos

Dois novos produtos voltados para o mercado de controle biológico de pragas acabam de receber seus registros no Brasil: Tricho-Turbo (Trichoderma asperellum BV10) e o No-nema (Bacillus amyloliquefaciens). De acordo com a Biovalens, empresa pertencente ao Grupo Vittia, foi concedida autorização de comercialização pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Segundo José Roberto Pereira de Castro, diretor comercial do Grupo Vittia, a empresa investiu cerca de cinco anos de pesquisa para cada um deles, tendo sido realizados testes prospecção em campo dos microrganismos, avaliação em casa de vegetação, testes in vitro, seleção e viabilidade econômicas e validação da eficiência agronômica em campo. 

“Estamos prevendo um grande aumento nas vendas com os lançamentos destes e de outros produtos no mercado de nutrição com proteção. Com esse impulso, estimamos um crescimento de 30% em 2019”, comenta Castro.

Nesse cenário, o Tricho–Turbo é um fungicida microbiológico para controle de doenças do solo. “Protege a rizosfera contra os patógenos do solo e age também como bioestimulador das plantas. Produto versátil, possui um isolado exclusivo do fungo, formulação líquida e superconcentrada, garantindo maior economia no campo e protegendo os esporos contra raios ultravioletas”, diz a Biovalens.

Já o o No-Nema é um nematicida microbiológico formulado com o isolado BV03 da bactéria Bacillus amyloliquefaciens, para controle de vermes que se alimentam das raízes das plantas. O produto possui fórmula líquida, altamente resistente e superconcentrada, o que facilita a aplicação. O No-Nema forma um filme protetor que inibe a penetração do nematoide na raiz das plantas, além disso, promove um maior crescimento radicular, aumentando a tolerância das plantas em condições de estresse hídrico.

Henrique Ferro, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Biovalens, indica que informações da Sociedade Brasileira de Nematologia (SBN) apontaram que os nematoides causam prejuízos de R$ 35 bilhões ao ano para o agronegócio brasileiro. “O Brasil tem alto potencial produtivo e as perdas por nematoides são muito grandes. O No-Nema vem de encontro à necessidade do produtor em diminuir essas perdas de forma a não prejudicar nem as plantas e nem o meio ambiente”, diz o especialista.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink