Organismos transgênicos poderiam degradar poluentes

MEIO AMBIENTE

Organismos transgênicos poderiam degradar poluentes

"Microrganismos geneticamente modificados podem ser projetados para realizar o processo de decomposição desses materiais complexos"
Por: -Leonardo Gottems
157 acessos

Pesquisadores da Universidade de Saúde e Ciências Aliadas, de Gana, estão sugerindo o uso da aplicação da biotecnologia para enfrentar o grave problema da contaminação com plásticos no mundo. Nesse cenário, eles estão preocupados que a África não tenha explorado o potencial da biotecnologia para ajudar a resolver a ameaça da poluição do plástico e afirmar que há uma necessidade urgente de ser perseguida.  

De acordo com o Dr. Nii Korley Kortei, chefe interino do departamento de nutrição e dietética na Universidade, "os organismos geneticamente modificados (OGM) poderiam ser projetados para ingerir estes resíduos plásticos indesejados. Na Universidade de Kyoto, foi descoberto que uma bactéria (Ideonella sakaiensis) produz uma enzima nunca antes vista que podem degradar plásticos em poucas semanas". 

A poluição plástica ainda é um grande problema em todo o mundo e particularmente na África. Muitos plásticos são usados para transportar itens do supermercado, e grande parte da embalagem dos alimentos não é biodegradável. Em geral, é impossível descartar permanentemente esses materiais após o uso, para que permaneçam no ambiente por muito tempo, muitas vezes como lixo. 

Mas Kortei argumentou que "microrganismos geneticamente modificados podem ser projetados para realizar o processo de decomposição desses materiais complexos". O problema da poluição plástica é particularmente grave quando se trata do oceano. De acordo com Michael Balinga, especialista em conservação da biodiversidade na África Ocidental, Biodiversidade e Mudanças Climáticas, mais de 300 milhões de toneladas de plásticos são produzidos em todo o mundo a cada ano. Ele diz que, desse número, apenas 22% são reciclados e mais de 8,8 milhões de toneladas de plásticos são despejados no oceano a cada ano.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink