Pelotas/RS aborda tecnologias para pós-colheita de arroz

Agronegócio

Pelotas/RS aborda tecnologias para pós-colheita de arroz

Simpósio teve como foco a busca pela qualidade e a diminuição das perdas
Por: -Marianna Rebelatto
1788 acessos

Simpósio teve como foco a busca pela qualidade e a diminuição das perdas

A mais antiga Faculdade de Agronomia ainda em funcionamento no país recebeu, na semana passada, a sexta edição do Simpósio Sul Brasileiro de Qualidade de Arroz. Ao completar 127 anos, a Faculdade de Agronomia da Universidade Federal de Pelotas/RS reuniu mais de 600 pessoas entre os dias 8 e 10 de dezembro para debater com pesquisadores renomados temas de interesse do setor, como armazenagem, controle de pragas, segurança, higiene e qualidade.

“O objetivo é difundir conhecimento e tecnologias com ênfase na pós-colheita”, afirmou Moacir Cardoso Elias, professor e coordenador da área de pós-colheita, industrialização e qualidade de grãos da Faculdade de Agronomia da UFPel, e também coordenador do Simpósio. De acordo com Elias, o arroz produzido no sul do Brasil equipara-se com os melhores do mundo. Entretanto, o produtor ainda tem uma visão mais quantitativa do que qualitativa. Por esse motivo, os agricultores acabam priorizando a ampliação da área plantada, em detrimento de melhorias no sistema de armazenagem, por exemplo. Segundo o professor, ainda há poucos órgãos de pesquisa dedicando-se a pós-colheita e industrialização de grãos, sendo esta uma área nova e que demanda grandes investimentos.

Esse conjunto de fatores gera um gargalo nesta etapa da produção, resultando em perdas e comprometendo a qualidade final do produto. Dessa forma, o Simpósio teve o desafio de mostrar o que já existe em termos de pesquisas e inovações tecnológicas e levantar as demandas mais urgentes do setor.

O VI Simpósio Sul Brasileiro de Qualidade de Arroz foi promovido pelo Laboratório de Grãos e Pólo de Alimentos da UFPel e pela Associação Brasileira de Pós-Colheita (Abrapos). O evento também contou com o apoio de diversas instituições de ensino e pesquisa, órgãos governamentais e empresas do setor.

A jornalista viajou a convite da Cycloar.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink