Produtores querem revisão de prazos

Agronegócio

Produtores querem revisão de prazos

Vamos procurar o Mapa e mostrar que a nossa realidade é outra”, disse o diretor executivo da Aprosoja, Marcelo Monteiro
Por:
614 acessos

As novas regras do zoneamento agrícola para o plantio da safra 2009/2010 não agradou os produtores mato-grossenses, que irão solicitar a revisão dos prazos ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Não vemos razões para que o período do plantio comece somente no final de outubro. Vamos procurar o Mapa e mostrar que a nossa realidade é outra”, disse o diretor executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Marcelo Monteiro.

Segundo ele, a mudança do período de plantio poderá gerar transtornos aos sojicultores principalmente em relação à questão de financiamento e seguro agrícola. “Vamos explicar que o problema não está no prazo final de plantio, mas no início, uma vez que atrasando a semeadura, os produtores terão dificuldades no cultivo da safrinha”.

Ricardo Arioli, coordenador da Comissão Mista de Meio Ambiente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famato), disse que na prática até à última semana de outubro Mato Grosso já está com boa parte da sua soja plantada. “Normalmente, concluímos o plantio antes do dia 30 de novembro e não no final de janeiro, como recomenda o zoneamento do Mapa”.

O grande problema, na avaliação de Arioli, é que o atraso no início do plantio diminui a possibilidade de plantar a safrinha de milho no começo do próximo ano. “Na prática, isso não irá funcionar em Mato Grosso”, disse.

Para o presidente da Famato, deputado federal Homero Pereira, a prática dos anos anteriores é que deverá determinar o melhor ciclo para a semeadura da safra 2009/2010. “Mato Grosso já tem as áreas definidas e a época adequada para o plantio. Se fugirmos deste calendário poderá ter problemas na frente”.

Segundo ele, o zoneamento funciona bem para áreas de fronteiras agrícolas, onde ainda são desconhecidas as características de solo, altitude e temperatura. “De uma forma geral, temos que manter a mesma estratégia que está dando certo conforme a experiência de plantio a cada ano. Acredito que a pesquisa está atrasada e não está compatível com a nossa realidade”.

Pereira diz que os estudos da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) terão que ser adaptados à realidade dos últimos anos. “Como o crédito já está acontecendo agora, independente do zoneamento, não acredito que a questão do financiamento será tão relevante, mesmo porque 80% dos recursos serão oriundos das tradings e apenas 20% do crédito oficial”, salientou o presidente da Famato.

MAPA – O coordenador da Comissão de Defesa Vegetal da Superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Wanderlei Dias Guerra, afirmou que historicamente a melhor época de plantio pelo fator climático é o período de maior demanda energética, como a presença de sol para o crescimento vegetativo das plantas.

Ele acredita que o plantio antecipado é que propicia uma renda a mais para o produtor, com o cultivo da safrinha. Segundo ele, os plantios mais produtivos ocorrem nos meses de outubro e novembro. “Não vejo motivos para plantarmos soja em janeiro”, afirmou Dias Guerra.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink