Reunião online vai validar o Zoneamento Agrícola de Risco Climático para o milho em Pernambuco
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,090 (1,09%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,07%)

Imagem: Marcel Oliveira

MILHO

Reunião online vai validar o Zoneamento Agrícola de Risco Climático para o milho em Pernambuco

As reuniões de validação servem para atualizar as datas de semeadura com menor risco climático para a cultura do milho
Por:
579 acessos

Encontro virtual, no dia 10 de julho (sexta), às 8h30, vai fazer a Validação do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para a cultura do milho no estado de Pernambuco. Para participar basta acessar o link da transmissão: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/zarc

Com participação de corpo técnico do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Embrapa, o evento é destinado a produtores rurais, consultores técnicos, gestores públicos, representantes de entidades de pesquisa e ensino, de bancos, de cooperativas e do setor privado.

A reunião terá a participação de Pedro Carlos Gama da Silva, chefe-geral da Embrapa Semiárido (Petrolina, PE), que fará a abertura ao lado de Reginaldo Alves de Souza, presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA). Já a apresentação da metodologia do ZARC para a cultura do milho em Pernambuco será feita pelo pesquisador Fernando Macena, da Embrapa Cerrados (Planaltina-DF).

“As reuniões de validação servem para atualizar as datas de semeadura com menor risco climático para a cultura do milho, além de orientar os produtores para a escolha dos melhores tipos de solo quanto à capacidade de armazenamento de água e das variedades mais resilientes e adaptadas para cada região, contribuindo para a racionalização do crédito agrícola”, explica Macena.

As informações validadas servirão de base para relatórios que serão elaborados pelos pesquisadores da área de agroclimatologia da Embrapa e encaminhados ao Comitê Gestor do Zoneamento Agrícola de Risco Climático da Embrapa.

Milho em Pernambuco

“A cultura do milho é importante para Pernambuco, assim como para todos os estados do Semiárido Brasileiro e demais estados do Brasil”, diz Alexandre Hugo Cezar Barros, pesquisador da Embrapa Solos UEP/Recife (uma das organizadoras do evento). “Aqui, junto com o feijão, constitui alimento básico de importância social e econômica, principalmente no âmbito da agricultura familiar. No caso do milho verde junto com o feijão verde, constituem as duas principais hortaliças em volume de comercialização. Vale lembrar que milho verde e feijão verde são considerados hortaliças”, conclui Alexandre.
 
Em Pernambuco já é possível detectar regiões de aptidão plena para essa cultura. Segundo José Nildo Tabosa, pesquisador do IPA, as principais áreas produtoras no estado são áreas de manchas de solos profundos (de elevada retenção de água e também baixios irrigados e o milho irrigado em sistema de sucessão com outras culturas nos perímetros do vale do São Francisco) espalhados nas mesorregiões do agreste (Passira, Limoeiro e Chã Grande) e do Sertão (Belmonte, Mirandiba, Inajá e Cedro), que dispõe de água subterrânea em abundância. “Por exemplo, no município do Cedro, dados apontam para colheita de milho grão da ordem de 80 sacos de 60 quilos por hectare sem uso de calcário, fertilizante e nenhum outro insumo”, afirma Tabosa

A importância do ZARC para a cultura do milho é determinar a época de plantio, definição de territórios de elevada aptidão para cultura e ciclo da cultivar, tudo isso aliado principalmente à aptidão do solo e do clima.  
 
A seca pode impactar negativamente o plantio do milho no estado, para isso existe o estudo contínuo do zoneamento, eliminando ou acrescentando territórios. Além do ZARC, é necessário aperfeiçoar e dinamizar o Zoneamento Agroecológico de Pernambuco (ZAPE), realizado pela Embrapa Solos - UEP Recife que é mais detalhado para um número de culturas importantes para Pernambuco, onde o milho e o feijão estão incluídos.

Metodologia

Desenvolvido pela Embrapa e parceiros, o Zarc é um método aplicado no Brasil pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, para a indicação de melhores datas ou períodos de plantio/semeadura por cultura e por município, considerando as características do clima, o tipo de solo e ciclo de cultivares, de forma a evitar que adversidades climáticas coincidam com as fases mais sensíveis das culturas, assim minimizando as perdas agrícolas.

Esse instrumento possibilita aos bancos públicos e os programas federais de seguro agrícola a oferta de linhas de financiamento e contratos de seguro para o plantio pelos produtores. 

Acesso a programas governamentais

Para ter acesso ao Proagro, ao Proagro Mais e à subvenção federal ao prêmio do seguro rural, o produtor deve observar as recomendações desse pacote tecnológico. Além disso, alguns agentes financeiros já estão condicionando a concessão do crédito rural ao uso do Zarc.

No Brasil, mais de 40 culturas já são orientadas com o Zarc. A ferramenta é utilizada em apoio à tomada de decisão para o planejamento e a execução de atividades agrícolas, para políticas públicas e para a seguridade agrícola, as principais culturas agrícolas brasileiras já estão contempladas no zoneamento.

Serviço:

VALIDAÇÃO DO ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO (ZARC) PARA CULTURA DO MILHO NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Realização: Embrapa Solos UEP Recife, Embrapa Semiárido, Embrapa Informática Agropecuária, Embrapa Cerrados, Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Data: 10 de julho de 2020
Horário: 8h30 – 12h

Objetivo: Discutir e validar o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) da cultura do milho para o estado de Pernambuco

Programação

Local: videoconferência, na Sala de Reunião Virtual - ZARC
(https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/zarc)
8h30 – 8h45: Abertura 
Pedro Carlos Gama da Silva (Chefe-Geral da Embrapa Semiárido)
Reginaldo Alves de Souza (Presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco - IPA)
8h45 – 9h15: Apresentação da metodologia do ZARC para a cultura do milho em Pernambuco - Fernando Macena (Embrapa Cerrados) 
9h15 -11h – Apresentação e discussão dos resultados – Aryeverton Fortes de Oliveira (Embrapa Informática Agropecuária)
11h - Encaminhamentos

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink