Robô argentino quer substituir glifosato

TECNOLOGIA EM TESTE

Robô argentino quer substituir glifosato

Equipamento remove plantas daninhas com laser e é movido a luz solar
Por: -Eliza Maliszewski
10267 acessos

Já imaginou um robô autônomo que retira as plantas daninhas da lavoura sem aplicar nenhum agroquímico? Esta tecnologia já não é novidade para os hermanos. A máquina é chamada de Gbot, desenvolvida por uma empresa de Rosário, Província de Santa Fé, na Argentina, e está despertando a curiosidade de produtores locais sobre a eficiência e a economia do custo de produção que teriam sem precisar comprar herbicidas.

O robô é um laboratório móvel. Equipado com sensores que fazem a identificação do solo e das culturas, coletando dados a campo como: umidade do solo, pressão atmosférica, ph, salinidade, temperatura e compactação do solo. A partir dessas informações são gerados mapas com aplicação na agricultura de precisão. Com raios laser e vapor de água ele faz a eliminação das plantas daninhas. Além de tudo o pequeno Gbot é ecologicamente correto: tem uma placa fotovoltaica e é movido a energia solar. O euqipamento já tem patente internacional para controle de daninhas.

“A maior parte dos nossos clientes é do setor agro e sempre nos traziam a questão de que, cada vez mais, precisacvam usar mais pesticidas para controlar as daninhas na lavoura. Como já vinhamos trabalhando muito em robótica e inteligência artificial, juntamos esta tecnologia com o problema e provamos que as ondas eletromagnéticas eliminavam as plantas indesejáveis na lavoura”, disse Gonzalo Saravia, CEO da Gbot, a um portal de notícias local.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink