Seguradoras já podem atender produtores de trigo do Paraná

Agronegócio

Seguradoras já podem atender produtores de trigo do Paraná

O Paraná responde por 60% da produção nacional de trigo e deve colher este ano 3,37 milhões de toneladas
Por:
346 acessos

As sociedades seguradoras interessadas em fazer o seguro do trigo da safra 2009 no Paraná já podem fazer seu credenciamento. O primeiro foi feito com a Aliança, do Banco do Brasil, que é a primeira empresa a fazer o seguro do trigo no Estado. O credenciamento foi anunciado pelo secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini durante a Escola de Governo desta terça-feira (25).

O Paraná responde por 60% da produção nacional de trigo e deve colher este ano 3,37 milhões de toneladas. A partir da safra 2009, o governo do Estado dará uma subvenção ao seguro rural para o trigo correspondente a 15% do prêmio para os produtores e de 30% para os produtores que aderirem ao Plano de Irrigação Noturna (PIN). A subvenção será feita com recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), operados pela Agência de Fomento do Paraná.

A estimativa da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento é de subvenção até R$ 3 milhões para a safra de trigo 2009, devendo cobrir 160 mil hectares de área plantada com o grão. O governador Requião anunciou recursos ilimitados para a Secretaria incentivar iniciativas de associações e sociedades representantes de produtores, que tragam inovações em tecnologia para a cultura do trigo. Segundo o governador, palestrantes e novas técnicas que aumentam a produção e a produtividade serão bem recebidos no Paraná.

LIDERANÇA – Segundo o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini, com essa subvenção, o Paraná ganha condições de consolidar sua posição como líder na produção de trigo, com o aumento da área plantada. Com o seguro ao prêmio do trigo, toda a cadeia produtiva é beneficiada.

Bianchini destacou a participação do governo do Estado que, ao incentivar o plantio de variedades de classe superior, a produção paranaense vai resultar na apresentação de um trigo melhorado para a indústria. Os produtores conseguem reduzir os custos de produção e o governo federal ganha com a redução dos gastos com renegociação de dívidas junto ao crédito rural e principalmente com a redução da dependência das importações de trigo, disse o secretário.

Para o diretor-presidente da Companhia Aliança do Brasil, Aldo Luiz Mendes, a seguradora tem cerca de 80% do seguro agrícola na área de grãos em todo o País e a empresa quer estender esse tipo de proteção para o maior número de produtores a um custo bem menor. “Esse esforço do Paraná certamente vai contribuir com o estabelecimento do Fundo de Catástrofes que será votado na Câmara de Deputados para cobrir as grandes perdas agrícolas do País”, disse.

O representante dos produtores, presidente da Sociedade Rural do Paraná, Alexandre Kireff, destacou que os produtores paranaenses apoiam integralmente a iniciativa do governo do Estado em subvencionar parte do prêmio do seguro do trigo, que sinaliza o caminho para o País atingir a autossuficiência no consumo, sem depender de importações. “O Paraná é o maior produtor de trigo e esta lavoura certamente é de segurança alimentar”, observou.

TECNOSHOW – Kireff foi à Escola de Governo também para comunicar que o principal tema que será discutido durante a Tecnoshow, este ano em Londrina, será o trigo. O evento acontece entre 28 de setembro e 4 de outubro e vai discutir estratégias e metas para o estado ampliar a produção de trigo e ajudar o País a atingir a autoSsuficiência.

Estavam presentes na Escola de Governo, prestigiando o credenciamento das seguradoras, o superintendente do Banco do Brasil no Paraná Paulo Roberto Meinerz, o presidente da Companhia Seguradora Aliança, Aldo Luiz Mendes, o presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguette, o diretor da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), Roland Guth e o presidente da Sociedade Rural do Paraná, Alexandre Kireff, entre outras autoridades.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink