Trabalhadoras rurais discutem desenvolvimento sustentável

Agronegócio

Trabalhadoras rurais discutem desenvolvimento sustentável

Fortalecer o protagonismo das mulheres no desenvolvimento rural sustentável é o principal ponto da Jornada das Margaridas, promovida pela Contag, de hoje até sexta-feira
Por:
226 acessos

Brasília - Fortalecer o protagonismo das mulheres no desenvolvimento rural sustentável é o principal ponto da Jornada das Margaridas, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag). Desta quarta-feira (19) até sexta-feira (21), elas participam, em Brasília, de vários debates e, ao final, apresentarão uma pauta de reivindicações para levar ao governo.

A secretaria do núcleo de Mulheres da Contag, Carmem Helena Ferreira, disse que a tarefa é debater o que já avançou nas políticas voltadas para o desenvolvimento sustentável.

“Para nós, pensar em desenvolvimento no Brasil sem pensar na inclusão das mulheres é pensar num desenvolvimento que não dá conta da dimensão do que queremos”, explicou.

Ela disse ainda que o desenvolvimento sustentável deve levar em conta o respeito ao meio ambiente, garantir a comercialização da produção das mulheres dar visibilidade ao que elas produzem. “As mulheres são responsáveis no mundo todo por 70% da produção de alimentos consumidos. O desafio é fazer a produção delas seja visível.”

Carmem disse que em 2010 será feito um balanço de todas as políticas voltadas ao desenvolvimento rural sustentável com foco nas mulheres. O trabalho deve ser entregue ao governo federal.

O secretário de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Humberto Oliveira, que esteve na abertura da jornada, disse que é preciso ampliar a participação das mulheres nos núcleos de decisões no meio rural.

“Precisamos ampliar a participação das mulheres nos colegiados territoriais que são formados por organizações da sociedade civil e pelos governos municipais, estadual e federal. Precisamos ter colegiados amplos, com representação dos atores sociais que vivem nos territórios”, assinalou ele.

Para se envolver nesse processo, acrescentou Oliveira, as mulheres precisam conhecer a política de desenvolvimento territorial, quais os benefícios e as melhores formas de participação e organização dentro dos colegiados territoriais,.

Os colegiados fazem parte do programa Territórios da Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Agrário.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink