Veterinário dá dicas para diagnosticar mastite
CI
Agronegócio

Veterinário dá dicas para diagnosticar mastite

Quando é encontrada a mastite, recomenda-se que a vaca infectada com a doença, seja a última a ser ordenhada, para evitar contágio
Por:
O veterinário da Cotrijuí Jorge Schifer, ao participar do informativo da cooperativa levado ao ar neste domingo pela manhã, dia 12, falou a respeito da mastite nas vacas leiteiras.

Conforme ele a doença é um processo inflamatório da glândula mamária, onde os casos devem ser eliminados para evitar infecções.

Destacou existirem três tipos. Mastite clínica aguda, crônica e sub clínica. Os prejuízos são perda de produtividade em até 50 por cento nos animais infectados, redução da qualidade do produto, aumento de custo e mão de obra para o produtor.

Segundo o veterinário, existem duas formas de detectar a doença. A primeira é o chamado teste CMT, ou teste da raquete.

Consiste da compra de uma raquete com quatro furos colocadas nas tetas da vaca. Na ocasião é retirado leite, sendo acrescido um reajente. Se o produto ficar espeço, tipo clara de ovo, é sinal de que o animal está com mastite.

A segunda opção é o teste de contagem de células somáticas. Neste caso, é tirada amostra e levada ao laboratório para exame, onde é identificado se existe infecção.

Quando é encontrada a mastite, Jorge Schifer, recomendo que a vaca infectada com a doença, seja a última a ser ordenhada, para evitar contágio.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink