Levantamento aponta boas perspectivas para a safra 2017-18 no oeste da Bahia

Safra 2017-18

Levantamento aponta boas perspectivas para a safra 2017-18 no oeste da Bahia

Até o momento, a produtividade média da soja foi estimada em 56 sacas por hectare, a melhor já alcançada
Por:
57 acessos

Com clima favorável às culturas plantadas no oeste baiano, as perspectivas para a safra 2017-18 são bastante otimistas. Foi o que apontou o 1º levantamento, realizado na última segunda-feira (15), pelo Conselho Técnico da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba).

Até o momento, a produtividade média da soja foi estimada em 56 sacas por hectare, a melhor já alcançada. “Se a chuva continuar a ser boa e a colheita ocorrer com sucesso, esse valor deve se confirmar”, afirmou Luiz Stahlke, assessor de Agronegócio da Aiba. Já em relação à área cultivada, a oleaginosa teve um acréscimo de 1,3% em relação ao ano passado, saltando de 1,580 milhão de hectares para 1,600 milhão. 

O algodão baiano também possui uma boa projeção e deve repetir o sucesso da safra 2016-17. Além do aumento da área plantada em 35%, a produtividade deve alcançar a marca de 310 arrobas por hectare, a mesma da safra anterior. Já a produção deve ser superior, sendo estimada em 1,209 milhão, 35% a mais que o ano passado. Números mais precisos devem ser estimados no próximo levantamento, já que, até o momento, apenas as áreas de sequeiro foram plantadas. As irrigadas devem finalizar o plantio até o dia 10 de fevereiro.

Para o milho, as perspectivas também são boas. Com o desenvolvimento equilibrado e nenhum problema apresentado até o momento, o grão deve chegar as 165 sacas por hectare, um aumento significativo comparado com as 130 sacas da última safra e a retração de área de 22%.

O Conselho Técnico da Aiba é formado por representantes de associações de produtores, sindicatos, multinacionais, instituições financeiras e órgãos governamentais. As previsões são feitas sempre considerando fatores como perspectivas de mercado, nível tecnológico, condições climáticas e controle fitossanitário.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink