Boletim Prohort revela que clima quente mantém tomate campeão de preços baixos

Tomate

Boletim Prohort revela que clima quente mantém tomate campeão de preços baixos

Tomate está com preços cada vez mais chamativos para o consumidor na cotação das Ceasas analisadas pela Conab
Por:
104 acessos

O tomate está com preços cada vez mais chamativos para o consumidor na cotação das Centrais de Abastecimento (Ceasas) analisadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O 2º Boletim Prohort, divulgado nesta terça-feira (19), registrou que o produto está 34,66% mais barato em Curitiba, 33,82% no Rio de Janeiro e 25,59% em Belo Horizonte.

“Com o clima quente, que é característico do verão, a maturação acelerada do fruto obrigou o produtor a colocar sua mercadoria à venda, pressionando os preços para baixo e beneficiando o consumidor na hora da compra”, esclarece a gerente de Modernização do Mercado Hortigranjeiro da Conab, Regina Santos. “Essa é uma forma de minimizar as perdas e evitar o prejuízo aos agricultores, que eventualmente se veem forçados a vender rapidamente o produto devido às imposições do clima”.

De acordo com o Boletim, outras hortaliças não seguiram a mesma linha, como no caso da cebola e da batata, que tiveram os preços elevados em quase todas as centrais. A exceção foi a queda na Ceagesp de 3,74% para a cebola e de 2,79% para a batata. Já alface e cenoura, apenas a primeira teve queda de preços em algumas centrais. Houve queda expressiva em Recife (34,76%) e Goiânia (11,11%) e com menor percentual em Belo Horizonte e Fortaleza. No entanto, em São Paulo (50,50%) e Curitiba (48,86%) os preços dispararam.

Frutas – Quanto às frutas, o estudo não traz muitas reduções de preços para banana, laranja, maçã, mamão e melancia. A maçã esteve melhor em Curitiba (6,45%) e Goiânia (4,96%), enquanto que a banana teve queda em São Paulo (12,02%) e Vitória (9,83%) e o mamão diminuiu no Rio de Janeiro (10,20%) e Goiânia (6,75%).

A melhor participação fora do enfoque do boletim foi o quesito das exportações de frutas. O estudo apurou que melancia, manga e melão tiveram um bom desempenho. O melão, por exemplo, aumentou de 28 mil toneladas para mais de 43 mil, só neste início de ano.

A pesquisa foi realizada nas Ceasas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Ceará, Pernambuco, Paraná e Goiás. Confira aqui o boletim na íntegra.

.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink