Produtor elenca melhorias após cursos e ATeG
CI
Imagem: Divulgação
PECUÁRIA

Produtor elenca melhorias após cursos e ATeG

Produtor viu a produção diária de leite do sítio passar de 469,23 litros (2019/2020) para 496,58 (2020/2021)
Por:

Desde que passou a fazer parte do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), oferecido por meio da parceria entre o Sistema FAEMG/SENAR/INAES e o Sindicato dos Produtores Rurais de Lima Duarte, o produtor rural Sílvio José de Almeida, viu a produção diária de leite do Sítio Cachoeira passar de 469,23 litros (2019/2020) para 496,58 (2020/2021). A produção por vacas em lactação em 2019/2020 era de 12,35 litros, enquanto no biênio 2020/2021, os dados apontam para 16,02 litros por vacas em lactação.

O Sítio Cachoeira está localizado na divisa dos municípios Bias Fortes e Pedro Teixeira. Mas não foi nele que o produtor começou a desenvolver sua atividade. “Tudo começou com meu pai, que faleceu em 2000. A partir daí, assumi a propriedade alugada. Foi nessa época que comecei a participar dos cursos oferecidos pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Lima Duarte. O primeiro deles foi o curso de Derivados do Leite de Vaca. A partir dele, comecei a produzir iogurte. Fui pioneiro na minha cidade. Entre os cursos dos quais participei estão Inseminação Artificial, Roçadeira, Alimentação de Bovinos, Administração Rural, Qualidade do Leite, entre outros.”

De acordo com Sílvio, o curso de Alimentação de Bovinos o auxiliou na mudança na forma de trabalhar. “Já o curso de administração me fez enxergar a necessidade de fazer cálculos, de planejar. Aprendi a criar metas. Aliás, é muito bom pegar minhas anotações daquela época e ver meu crescimento. Percebo que consegui cumprir as metas com sobra.”

Para ele, os diferenciais para alcançar os resultados são a persistência, a busca pelo conhecimento e o planejamento. “Vejo produtores reclamando do preço pago pelo leite e pergunto o que têm feito para agregar valor a esse produto. Eu, por exemplo, não apenas aumentei o número de gado, mas também promovi o melhoramento do rebanho.” Ele, além de trabalhar com bovinocultura de leite, comercializa os bezerros depois de certa idade.

Sobre promover melhorias e agregar no valor pago pelo leite, é possível destacar que o preço médio do leite pago ao produtor rural também apresenta crescimento entre 2019/2020 e 2020/2021, passando de R$ 1,35 para R$ 1,88. “Enquanto isso, o percentual do Custo Operacional Efetivo do leite no preço do leite passou de 101,48% em 2019/2020 para 69,15% em 2020/2021”, detalhou o técnico do ATeG que acompanha a propriedade, o zootecnista Felipe Rosa Oliveira.

Outra melhoria promovida no Sítio Cachoeira foi a construção de silos para produção de milho reidratado. “Esta tecnologia serve para reduzir os custos com concentrado”, explicou Felipe.

Outros dados que demostram o crescimento desde o início do ATeG

“Tendo em vista a necessidade de aplicação de tecnologias relativas à produção de leite, imprimindo mais qualidade e produtividade, oferecemos, Sistema FAEMG/SENAR/INAES e Sindicato dos Produtores Rurais de Lima Duarte, o Programa de Assistência Técnica e gerencial, que por meio de visitas técnicas mensais, busca por melhorias na gestão do segmento leite, com controle de custos, receitas, alimentação adequada do gado, entre vários outras”, detalhou o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Lima Duarte, Olivier de Paula Campos.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink


Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.