Rally da Safra passa por Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais

RALLY DA SAFRA

Rally da Safra passa por Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais

Próximos destinos do Rally da Safra 2020, os estados do Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais contam com um ponto em comum
Por:
1107 acessos

Próximos destinos do Rally da Safra 2020, os estados do Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais contam com um ponto em comum. Eles têm parte de suas produções de soja escoada pela VLI. A empresa especializada em oferecer soluções logísticas integradas e que abrangem portos, ferrovias e terminais, a VLI possui quatro terminais – de um total de seis – situados em regiões estratégicas e aptos a movimentar mais de 17 milhões toneladas de grãos produzidos por estes três estados ao ano.

Os produtos vindos do leste mato-grossense, por exemplo, podem chegar ao Porto de Itaqui, no Maranhão, pela ferrovia, passando pelo Terminal de Porto Nacional. Este ativo foi inaugurado em março de 2016 juntamente com o Terminal de Palmeirante. Situados no Tocantins, ambos receberam investimento de R$ 264 milhões e contam com capacidade para movimentar cerca de 6 milhões de toneladas de produtos como soja, milho e farelo, por ano. A cidade de Querência (MT) está no roteiro da equipe 4, do Rally da Safra, cuja partida está marcada para a semana do dia 11 de fevereiro.

Já o Triângulo Mineiro, região a ser visitada pela equipe 5, a partir do dia 17, dispõe de um terminal em Uberaba, cuja capacidade anual de movimentação de grãos é de 6,3 milhões de toneladas. Inaugurado em 2016, este ativo recebeu investimentos na ordem de R$ 230 milhões e destaca-se pela operação eficiente e integrada capaz de diminuir o tempo de carregamento de um trem com 80 vagões de 68 horas para apenas 5 horas, em média. A localização deste terminal também é uma característica importante, pois está conectado à outra concessão ferroviária, que integra grandes regiões produtoras como Goiás, Minas Gerais e São Paulo, ao Porto de Santos. Lá, a empresa conta com outro ativo, o Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Mesquita (TIPLAM), que recebeu aporte de R$ 2,7 bilhões. Sua capacidade anual de movimentação é de 5 milhões de toneladas de grãos sendo que a operação de exportação está totalmente integrada à ferrovia.

“A VLI está preparada para receber e escoar com eficiência os grãos dessas regiões. As informações de campo vindas do Rally da Safra são fundamentais para refinarmos nosso planejamento e melhor atender nossos clientes”, explica Igor Figueiredo, gerente-geral Comercial de Agricultura da VLI. Desde 2017, a empresa patrocina o Rally da Safra.

O evento, que está em sua 17ª edição, conta com 11 equipes em campo – oito para a avaliação de lavouras de soja e outras três para a verificação das áreas de milho da segunda safra. O levantamento ocorrerá em 12 dos principais estados produtores: Mato Grosso, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins. A expedição deve percorrer cerca de 100 mil quilômetros nesta edição e a área analisada pelos técnicos corresponde a 95% da produção de soja e 72% de milho do país.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink