Mais de 700 extrativistas foram beneficiados em 2018 por meio da PGPM-Bio

PGPM-Bio

Mais de 700 extrativistas foram beneficiados em 2018 por meio da PGPM-Bio

Até o mês de dezembro, foi destinada uma quantia em torno de R$ 1,3 milhão referente a cerca de 1,1 mil toneladas de produtos extrativos subvencionados
Por:
14 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) beneficiou 726 extrativistas da Paraíba por meio da Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio) em 2018. Até o mês de dezembro, foi destinada uma quantia em torno de R$ 1,3 milhão referente a cerca de 1,1 mil toneladas de produtos extrativos subvencionados.

Pela primeira vez foi paga subvenção relativa ao umbu no estado. No total foram auxiliados 101 extrativistas que comercializaram mais de 150 mil toneladas de umbu e receberam recursos na ordem de R$ 46,1 mil.

Também em 2018 625 extrativistas foram beneficiados com um apoio no valor de R$ 1,24 milhão referentes a venda de mil toneladas de mangaba abaixo do preço mínimo estipulado pelo Governo Federal. Os valores obtidos pelo produto no ano de 2018 apresentam um crescimento de mais de 180% em relação aos valores obtidos no ano de 2017.

O bom resultado é reflexo das ações da Conab realizadas ao longo do último ano no sentido de ampliar cada vez mais o acesso dos produtores extrativistas à Política, expandindo a operação no estado, como o levantamento do custo de produção da mangaba e do umbu e a participação em palestras e eventos voltados para a promoção do extrativismo na Paraíba.

Executada desde 2009, a PGPM-Bio possibilita ao extrativista receber um bônus na venda do produto extrativo, desde que a comercialização tenha sido realizada por um valor inferior ao preço mínimo fixado pelo governo federal. Além disso, a política visa a permanência do homem na floresta e o uso sustentável dos recursos naturais.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink