Conab aponta redução na produção de regiões cafeeiras

CAFÉ

Conab aponta redução na produção de regiões cafeeiras

Sul de Minas redução da área em produção e do rendimento médio da cultura em comparação ao ano anterior
Por:
2116 acessos

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) relatou queda na quantidade de café produzido para a safra 2019/2020. A produção deve alcançar 49,31 milhões de sacas. Além disso, a Companhia separou os detalhes de alguns locais produtores:

Minas Gerais

Sul de Minas (Sul e Centro-Oeste): redução da área em produção e do rendimento médio da cultura em comparação ao ano anterior, refletindo assim em uma produção final inferior aos 17,9 milhões de sacas colhidas em 2018. Foram produzidas cerca de 13,98 milhões.

Cerrado Mineiro (Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste): diminuição de área de produtividade média e de produção, alcançando 4,59 milhões de sacas beneficiadas.

Zona da Mata Mineira (Zona da Mata, Rio Doce e Central): redução de área e produtividade média. O volume final colhido ficou em 5,35 milhões de sacas.

Norte de Minas (Norte, Jequitinhonha e Mucuri): produção menor que aquela obtida em 2018, devendo ficar em 628,7 mil sacas beneficiadas.

Espírito Santo: as condições climáticas verificadas ao longo do desenvolvimento da cultura oscilaram e, atrelados a isso, os efeitos da bienalidade negativa trouxeram a diminuição de rendimento médio e de produção total em comparação a 2018, alcançando cerca 13,49 milhões de sacas, com uma produtividade média de 34,27scs/ha.

São Paulo: com uma produção predominantemente de café arábica e uma safra de bienalidade negativa, a previsão de redução em relação a 2018 se confirmou. Foram 4,34 milhões de sacas beneficiadas, representando diminuição de 31,1% em comparação ao ano passado.

Bahia: diminuição de área em produção e de rendimento médio, perfazendo uma produção aquém daquela obtida em 2018. Ao todo foram colhidos 3 milhões de sacas. As três regiões produtoras do estado (Cerrado, Planalto e Atlântico) apresentaram números inferiores aos apresentados na safra passada.

Rondônia: a produtividade média cresceu especialmente em razão do uso de matérias genéticas de maior potencial produtivo e do manejo mais tecnificados que os produtores têm implantado em suas lavouras. Dessa forma, mesmo com diminuição da área em produção, o volume final obtido foi superior aquele registrado em 2018. São cerca de 2,2 milhões de sacas de café, exclusivamente do tipo conilon, colhidas neste ano (aumento de 11,1% em relação ao ano passado).

Paraná: a área em produção e a produtividade média reduziram 1,6% e 3,2%, respectivamente, quando comparadas a 2018. Tais variações perfizeram uma produção inferior àquela apresentada na safra anterior, ficando em 953 mil sacas de café.

Rio de Janeiro: a produção foi menor 29,2% menor que as 346 mil sacas beneficiadas no ciclo passado. Ao todo foram produzidas.

Goiás: os incrementos verificados na área em produção e no rendimento médio potencializaram o resultado final da safra, que fechou em 249,3 mil sacas beneficiadas. Cerca de 245 mil sacas de café beneficiadas em 2019, tal número foi 27,6% superior à produção alcançada na temporada anterior.

Mato Grosso: diminuição de 9,5% na área em produção, porém crescimento de 28,8% no rendimento médio, ambos em relação à safra passada, contribuindo para uma produção de 121,4 mil sacas de café beneficiadas, 16,5% a mais que na última safra.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink