Município quer proibir árvore que mata abelhas
CI
Imagem: Divulgação
PERIGO

Município quer proibir árvore que mata abelhas

O plantio já é proibido em toda Santa Catarina desde 2019
Por: -Eliza Maliszewski

A cidade catarinense de Joinville quer proibir o plantio da árvore conhecida como bisnagueira, mijadeira, tulipeira-do-gabão ou chama-da-floresta (Spathodea campanulata). Embora seja bonita e tenha belas flores, a planta é considerada um perigo para as abelhas.

O néctar é fatal para os insetos e causa males a pássaros como o beija-flor. O projeto de lei que tramita na Câmara de Vereadores, pretende multar em mais de R$ 3 mil quem descumprir a determinação.

A árvore ornamental não é nativa do Brasil e por isso pode ser cortada. No Estado de Santa Catarina o plantio da espécie é proibido desde 2019, por lei estadual.

O vereador Adilson Girardi (MDB) propôs a lei na cidade para poder modificar o Código Municipal do Meio Ambiente. “Era necessário reaplicar a lei aqui e a fizemos um pouco mais abrangente para contemplar outros tipos de árvore que são prejudiciais ao meio ambiente, mas também à infraestrutura”, explica. Uma das demandas era sugerir ao governo municipal que privilegiasse árvores que são propícias para alimentação das abelhas.

As abelhas são fundamentais para a agricultura. Elas fazem o serviço de polinização de 85% das plantas de importância para a alimentação humana e para a economia como soja, café, feijão e laranja. Todos os direitos reservados.Elas injetam R$ 43 bilhões na agricultura brasileira todos os anos.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink