Semiárido recebe destaque no portal da Embrapa na Internet

Evento

Semiárido recebe destaque no portal da Embrapa na Internet

Semiárido recebe um espaço especial no portal da Embrapa na Internet, que será apresentado durante a solenidade de aniversário da Empresa
Por:
55 acessos

O Semiárido recebe um espaço especial no portal da Embrapa na Internet, que será apresentado durante a solenidade de aniversário da Empresa, na tarde desta quarta-feira, 24, em sua sede, em Brasília. Com o tema “Tecnologia e Inovação para o Semiárido – Transformações que levam desenvolvimento social e econômico”, o novo espaço digital tem dois objetivos principais: apresentar a proposta da Embrapa para o Programa de Inovação Agropecuária para o semiárido brasileiro, bem como apresentar as soluções tecnológicas já disponíveis para a região.

A primeira seção apresenta o Programa que tem por objetivo promover a renda e melhorar a qualidade vida no Semiárido. Esta iniciativa está estruturada para superar os desafios prioritários das cadeias por meio da inovação tecnológica; fortalecer nichos de inovação, numa abordagem integrada, estabelecendo alianças para promover a inserção produtiva; e multiplicar experiências exitosas, a partir das características sociotécnicas dos nichos de inovação já estruturados.

Estudos da Embrapa Territorial, que levaram em consideração uma estratégia de fortalecimento dos nichos de inovação para atuação da Embrapa e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), estão subsidiando o Programa. Utilizando técnicas de inteligência territorial com base nos quadros natural, agrário, agrícola, socioeconômico e de infraestrutura, e com ênfase na renda dos estabelecimentos agropecuários, foram identificadas para a primeira fase do projeto oito microrregiões prioritárias com potencial de desenvolvimento agropecuário. Essas microrregiões abrangem 106 municípios e representam 10% da área da caatinga. Elas reúnem mais de 142 mil estabelecimentos agrícolas (cerca de 8% dos estabelecimentos da Caatinga), sendo mais de 15.000 estabelecimentos com renda entre 3 e 10 salários mínimos mensais, público principal das ações concentradas do programa.

As oito microrregiões selecionadas são Euclides da Cunha (BA), Araripina (PE), Vale do Açu (RN), Baixo Jaguaribe (CE), Alto Médio Canindé (PI), Sergipana do Sertão do São Francisco (SE), Batalha (AL) e Cariri Oriental (PB). Foi definida uma microrregião por estado do Nordeste, exceto o Maranhão, onde a vegetação predominante é o cerrado.

Para cada uma dessas oito microrregiões foram elaborados os quadros natural, agrário, agrícola, de infraestrutura e socioeconômico, com informações sobre as cadeias produtivas existentes que compõem o G75 do valor da produção. Ou seja, cadeias responsáveis por pelo menos 75% do valor da produção agropecuária nestas microrregiões. Também fazem parte dos levantamentos, os números de imóveis rurais e de assentamentos de reforma agrária, os municípios atendidos pelos programas de irrigação (cisternas, açudes e pivôs de irrigação), entre outros temas.

Segundo o diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Celso Moretti, as ações da Embrapa capitaneadas pelo Ministério da Agricultura (MAPA), têm potencial para alavancar o desenvolvimento sustentável do semiárido brasileiro. “Apesar de ser uma região de grandes dimensões – cerca de 100 milhões de hectares – e com problemas complexos, acreditamos que as nossas Unidades de Pesquisa têm capacidade técnica para contribuir efetivamente para a geração de renda, emprego e melhoria da qualidade de vida da população”.

A segunda seção apresenta as soluções tecnológicas já desenvolvidas e adequadas à realidade do Semiárido brasileiro. Elas estão organizadas nas categorias: Produção Vegetal; Produção Animal: Agroindústria; Inteligência Territorial; Sistemas Integrados; e Recursos Naturais. Ao clicar na solução escolhida, é possível obter informações técnicas sobre o produto, processo ou serviço, onde encontra-la e outros conteúdos correlacionados como publicações, vídeos e notícias, quando for o caso. Uma terceira área traz informações, no formato de matérias jornalísticas, sobre as novidades da pesquisa agropecuária para o Semiárido.

Cleber Soares, diretor-executivo de Inovação e Tecnologia da Embrapa, disse que ao longo dos seus 46 anos a Embrapa, com diferentes parceiros, tem desenvolvido, adaptado e disponibilizado um acervo de tecnologias para o uso racional dos recursos naturais e para a convivência com a semiaridez. “Verificamos que quando o sistema produtivo acessa políticas públicas, adota tecnologias disponíveis e recebe capacitação e assistência técnica o resultado é sempre muito positivo. O semiárido tem grande potencial a ser explorado de forma sustentável, com a geração de inovações significativas na região, como já vem ocorrendo em alguns territórios da Caatinga”, afirmou.

Confira aqui a página “Tecnologia e Inovação para o Semiárido – Transformações que levam desenvolvimento social e econômico”.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink