Bula Alteza 30 SL

acessos
Glyphosate + Imazethapyr
4298
Basf

Composição

Glifosato 240 g/L Glicina Substituída
Imazetapir 30 g/L Imidazolinonas

Classificação

Herbicida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Não seletivo, Sistêmico

Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Apaga fogo
(Alternanthera tenella)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Buva
(Conyza bonariensis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Cheirosa
(Hyptis suaveolens)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Erva quente
(Spermacoce latifolia)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Falsa serralha
(Emilia sonchifolia)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 ndias. Pós-emergência em jato dirigido
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Guanxuma dourada
(Sida urens)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Milheto
(Pennisetum americanum)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Picão preto
(Bidens pilosa)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Soja Dessecação Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Apaga fogo
(Alternanthera tenella)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Buva
(Conyza bonariensis)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Cheirosa
(Hyptis suaveolens)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Erva quente
(Spermacoce latifolia)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Falsa serralha
(Emilia sonchifolia)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Guanxuma dourada
(Sida urens)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Milheto
(Pennisetum americanum)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Picão preto
(Bidens pilosa)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
2 a 3 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Plantio direto: dessecação de plantas infestantes na semeadura
Soja S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Apaga fogo
(Alternanthera tenella)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Buva
(Conyza bonariensis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Cheirosa
(Hyptis suaveolens)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Erva quente
(Spermacoce latifolia)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Falsa serralha
(Emilia sonchifolia)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 ndias. Pós-emergência em jato dirigido
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Guanxuma dourada
(Sida urens)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Milheto
(Pennisetum americanum)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Picão preto
(Bidens pilosa)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
2 a 2,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) - 66 dias. Pós-emergência em jato dirigido

Frascos de plástico: 1; 5; 10 e 20 L.

INSTRUÇÕES DE USO/CULTURA:
ALTEZA®30 SL é um herbicida sistêmico e não seletivo, resultante da combinação de dois princípios ativos - IMAZETAPIR e GLIFOSATO - para aplicação em pós-emergência, com uso específico em jato dirigido na cultura da soja, ou em dessecação antes do plantio (plantio direto).

- Modo de ação:
ALTEZA®30 SL é um herbicida sistêmico absorvido pelas folhas e raízes das plantas. Sendo uma combinação de dois princípios ativos, atua na interrupção da síntese de valina, leucina e isoleucina, no decréscimo dos aminoácidos aromáticos tryptophan, tirosine e phenylalanine, que são necessários para a síntese protéica e também na inibição da fotossíntese e na síntese de ácido nucléico. Após a aplicação do produto, as plantas infestantes terão seu crescimento interrompido e morrerão.
ALTEZA® 30 SL tem também ação de controle em pré-emergência para plantas infestantes sensíveis que germinarem após a aplicação, quando em condições climáticas adequadas.

- Precauções:
A adoção de boas práticas agrícolas são essenciais para o bom desenvolvimento da cultura e fechamento da mesma no limpo.

- Seletividade:
ALTEZA® 30 SL não é seletivo para a cultura da soja devendo, portanto, ser aplicado em jato dirigido. Nas aplicações nas entrelinhas, o produto não deve entrar em contato com as partes verdes da cultura, evitando, com isso, a ocorrência de sintomas de amarelecimento, necrose e morte das plantas.

CULTURAS, PLANTAS DANINHAS E DOSES:
Vide a seção "Indicações de Uso/Doses"

DOSE/ NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
SISTEMA DE PLANTIO ÉPOCA DE APLICAÇÃO DOSE
Convencional Pós-emergência em jato dirigido 2,0-2,5 L/ha
Plantio direto Dessecação de plantas infestantes 2,0-3,0 L/ha
Pós-emergência em jato dirigido 2,0-2,5 L/ha

ALTEZA® 30 SL pode ser aplicado na cultura da soja desde a pós-emergência precoce, até a pós-emergência tardia das plantas infestantes, em jato dirigido. No plantio direto pode ser utilizado como dessecante da vegetação existente antes do plantio, preferencialmente quando esta estiver em início de desenvolvimento.

MODO DE APLICAÇÃO:
Preparo da calda para pulverização:
Coloque água limpa no tanque do pulverizador até 3/4 de sua capacidade. Com o agitador (retorno) acionado, adicione a quantidade recomendada de ALTEZA 30 SL.

Aplicação terrestre:
Uso específico: A aplicação deve ser em jato dirigido em faixa, isto é, entre as linhas da cultura, sem atingir a parte foliar da soja, com equipamento terrestre manual ou motorizado corretamente calibrado. Para aplicação, use volume de calda de 100 a 300 litros por hectare. A pressão de trabalho deve ser de 40 - 60 lb/pol². O volume de calda e a pressão devem garantir uma cobertura adequada da área tratada.
Dessecação: A aplicação deve ser uniforme em área total seguindo-se as mesmas recomendações referentes a volume e pressão.

Aplicação aérea:
A aplicação aérea deve ser feita somente na dessecação de plantas infestantes em plantio direto.
Aplicar volume de calda de 30-50 litros/ha, bicos D-10 ou D-12 com core 45, altura de vôo de 2 a 3 metros do solo, faixa de aplicação de 12 a 15 metros e ângulo do bico de 90° em relação a direção de vôo.
Evite derivas para as culturas vizinhas. Aplique apenas em condições ambientais favoráveis. Evite sobreposição de faixas de pulverização durante a aplicação. A boa prática agrícola recomenda a aplicação sem vento ou vento não superior a 8 km/h.
OBS: Sobre outros equipamentos providenciar uma boa cobertura de pulverização. Consulte sempre um engenheiro agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Soja .............................. 66 dias.

LIMITAÇÕES DE USO:
I.Somente as culturas de inverno e verão abaixo relacionadas poderão ser feitas em rotação com a soja na área tratada com ALTEZA®30 SL.
Culturas de inverno: trigo, cevada, aveia, azevém, soja, amendoim, feijão, ervilha, tremoço, milho “safrinha”.
Cultura de verão: milho, soja, amendoim, feijão, ervilha e tremoço.

II.Quando da aplicação, evite que o produto atinja a parte verde (folhas, ramos e caule verde) da cultura da soja e evite a deriva para as culturas adjacentes.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto; Não utilize equipamento com vazamento; Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca;

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Evite contato com a pele e olhos; Se houver contato com os olhos, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Ao contato do produto com a pele, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Ao abrir a embalagem, faça de forma a evitar respingos; Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas, botas, avental impermeável.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Não aplique o produto contra o vento; Use macacão de mangas compridas, chapéu de aba larga, botas e luvas. Evite inalar o produto.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia, destrua-a e enterre-a; Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais; Tome banho, troque e lave suas roupas.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: IMAZETHAPYR age nas plantas inibindo a biossíntese de valina, leucina e isoleucina, aminoácidos estes produzidos apenas pelas plantas e não pelos animais. O IMAZETHAPYR é um ácido livre, fraco, que depois de ingerido movimenta-se livremente através do sistema digestivo e é rapidamente excretado pela urina e fezes. GLIFOSATO atua no decréscimo dos aminoácidos aromáticos tryptophan, tirosine e phenylalanine, que são necessários para a síntese protéica e também na inibição da fotossíntese e na síntese de ácido nucléico. O GLIFOSATO em mamíferos, quando administrado oralmente, é rapidamente excretado.

EFEITOS COLATERAIS AGUDOS E CRÔNICOS: DL50 aguda oral (ratos): >5.000 mg/kg. DL50 aguda dérmica (ratos): > 2.000 mg/kg. Não há nenhuma indicação de efeitos colaterais adversos no ser humano.

PRIMEIROS SOCORROS: INGESTÃO: Beba 2 copos de água, provoque vômito se a pessoa estiver consciente e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo ou receituário agronômico do produto. OLHOS: Lave-os com água corrente em abundância e, se houver irritação, procure o médico, levando a embalagem, rótulo ou receituário agronômico do produto. PELE: Lave com água e sabão em abundância e, se houver irritação, procure o médico, levando a embalagem, rótulo ou receituário agronômico do produto. INALAÇÃO: Procure lugar arejado. ANTÍDOTO: De acordo com os sintomas e as condições clínicas da pessoa que tenha sofrido excesso de exposição. TRATAMENTO MÉDICO: Recorrer ao tratamento sintomático e lavagem estomacal, purgante salino, oxigênio e respiração artificial.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: MUITO PERIGOSO (CLASSE II) AO MEIO AMBIENTE; Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente; Este produto é ALTAMENTE TRANSPORTÁVEL no meio ambiente, desloca-se facilmente no solo, podendo alcançar lençóis freáticos, águas superficiais (rios, lagos, etc.), e áreas vizinhas. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de 500(quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250(duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTE: Contate as autoridades locais competentes e a empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e mascara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada; Em caso de derrame, estancar o vazamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais; siga as instruções abaixo: Piso Pavimentado: colocar material absorvente (p.ex. serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado e recolher o mesmo com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água. Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: interromper imediatamente o consumo humano e animal e contatar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas 3 (três) vezes e a calda resultante acrescentada a preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias. Observar legislação Estadual e Municipal específica. Fica proibido o enterrio de embalagem nas áreas inadequadas, consulte o órgão estadual do meio ambiente.

A rotação de culturas pode permitir também rotação nos métodos de controle das plantas infestantes que ocorrem na área. Além do uso de herbicidas, outros métodos são utilizados dentro de um manejo integrado de plantas infestantes, sendo eles o controle manual, o controle mecânico, através de roçadas ou cultivadores, a rotação de culturas e a dessecação da área antes do plantio os mais utilizados e eficazes.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes resistentes a esse mecanismo de ação.
Como prática de manejo de resistência de plantas infestantes, deverão ser aplicados, alternadamente, herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Os herbicidas deverão estar registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um engenheiro agrônomo.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.