Bula Atrazina Nortox 500 SC

acessos
Atrazine
596
Nortox

Composição

Atrazina 500 g/L Triazina

Classificação

Herbicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Seletivo, Sistêmico, Pré-emergência, Pós-emergência

Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não deterrminado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Flor amarela
(Melampodium perfoliatum)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Malva branca
(Sida cordifolia)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Melampodium
(Melampodium divaricatum)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Pega pega
(Desmodium adscendens)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Picão preto
(Bidens pilosa)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Tiririca
(Cyperus sesquiflorus)
5 a 8 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não deterrminado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Flor amarela
(Melampodium perfoliatum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Malva branca
(Sida cordifolia)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Melampodium
(Melampodium divaricatum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Pega pega
(Desmodium adscendens)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Picão preto
(Bidens pilosa)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Tiririca
(Cyperus sesquiflorus)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha
Sorgo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não deterrminado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Flor amarela
(Melampodium perfoliatum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Malva branca
(Sida cordifolia)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Melampodium
(Melampodium divaricatum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Pega pega
(Desmodium adscendens)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Picão preto
(Bidens pilosa)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré e pós-emergência. Período de pós semeadura. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 3,0 L p.c./ha; Solo médio: 5,0 L p.c./ha; Solo pesado: 6,5 L p.c./ha
Tiririca
(Cyperus sesquiflorus)
3 a 6,5 L p.c./ha 200 a 800 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Única. Não determinado. Em pré-emergência. Cana planta: após o plantio. | Cana soca: após o corte. O volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós emergência. Solo leve: 5,0 L p.c./ha; Solo médio: 6,5 L p.c./ha; Solo pesado: 8,0 L p.c./ha

Botijão plástico de 5 e 10 L.
Bombonas plásticas de 20, 100, 110, 125, 200, 500 e 1000 L.
Tanques (Granel) metálico: 10000, 20000, 30000 e 40000 L.
Garrafa plástica: 1 L
Bombona plástica: 5, 10, 20, 100; 110; 125; 200; 500 e 1000 Litros.
Frasco plástico: 500 e 1000 ml
Tambor plástico: 50, 100, 110, 125, 200 L
Tambor metálico: 50, 100, 110, 125, 200 L
Tambor retornável plástico: 50, 100, 110, 125, 200 L
Isotanque retornáveç IBC plástico: 500 e 1000 L
Tanque estacionário polietileno: 5000, 10000, 15000, 20000, 25000, 30000, 35000, 40000, 45000, 50000, 55000, 60000 L.
Tanque estacionário polipropileno: 5000, 10000, 15000, 20000, 25000, 30000, 35000, 40000, 45000, 50000, 55000, 60000 L.
Tanque estacionário poliéster reforçado com fibra de vidro: 5000, 10000, 15000, 20000, 25000, 30000, 35000, 40000, 45000, 50000, 55000, 60000 L.
Tanque estacionário aço inox: 5000, 10000, 15000, 20000, 25000, 30000, 35000, 40000, 45000, 50000, 55000, 60000 L.

MODO DE APLICAÇÃO: ATRAZINA NORTOX 500 SC é aplicado sobre o solo bem preparado, livre de torrões, resíduos, detritos e contendo um bom teor de umidade para sua melhor ação herbicida. Para preparar melhor a calda, colocar a dose indicada de ATRAZINA NORTOX 500 SC no pulverizador com água até 3/4 de sua capacidade e em seguida completar o volume agitando-se constantemente. Na aplicação o volume de água utilizado por hectare é de 200-400 litros quando aplicado em pré-emergência e 400-800 litros quando aplicado em pós-emergência. ATRAZINA NORTOX 500 SC pode ser aplicado através de pulverizadores costais manuais ou de barras acionados por tratores, equipados com bicos de jato em leque.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Mantenha afastado das áreas de aplicação: crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas por um período de 07 dias após a aplicação do produto.

LIMITAÇÕES DE USO: A umidade é importante para a ativação do herbicida. Não aplique o produto com o solo seco. Não há evidência de fitotoxicidade para as culturas desde que seguidas corretamente às instruções de uso.

EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO: ATRAZINA NORTOX 500 SC deve ser aplicado através de equipamentos costais manuais ou tracionados e acionados por tratores. São indicados bicos de jato em leque, que formam ângulos de 80 ou 110 graus. A pressão recomendada varia entre 20 e 60 libras pol², obtendo-se tamanhos de gotas com VMD entre 420 a 520 mícron. As gotas menores são indicadas para locais que não haja risco de atingir as folhas de plantas econômicas por deriva. As gotas maiores possibilitam a formação de película com distribuição homogênea do herbicida sobre o solo.

DADOS E INFORMAÇÕES ADICIONAIS: GARANTIA: A empresa garante as propriedades físicas e químicas de seus produtos e o teor de substâncias ativa indicada no rótulo e bula, devidamente registrada no Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Uma vez que a manipulação e a aplicação do produto estão fora de seu alcance, a empresa não assume qualquer outra responsabilidade por danos e prejuízos decorrentes do mau uso do mesmo e/ou por condições adversas.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto; Não utilize equipamentos com vazamento; Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca; Não distribua o produto com as mãos desprotegidas;

PRECAUÇÒES NO MANUSEIO: Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Use máscaras cobrindo o nariz e a boca; Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Use luvas de borracha; Ao contato com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos; Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, luvas, avental impermeável e máscara cobrindo o nariz e a boca.

PRECAUÇÒES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação; Não aplique o produto contra o vento; O produto produz neblina, use máscara cobrindo o nariz e a boca; Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, luvas, botas e avental impermeável.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia; Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais; Tome banho, troque e lave suas roupas.

PRIMEIROS SOCORROS: No caso de ingestão provoque vômito, procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto; No caso de contato com os olhos, lave-os com água em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto; No caso de contato com a pele, lave-a com água e sabão em abundância e se houver irritação procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto; Em caso de inalação do produto procure lugar arejado.

ANTÍDOTO E TRATAMENTO: As intoxicações acidentais devem ser atendidas com o antídoto universal composto de duas partes de carvão ativo, uma parte de óxido de magnésio e uma parte de ácido tanico (tanino); Quando necessário chamar o médico do Centro de Informações Toxicológicas para administração da terapeutica sintomatologica que for prescrita.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Intoxicação: absorção da calda durante a pulverização ou ingestão acidental; Excreção: verifica-se tanto pelas fezes, como pela urina.

EFEITOS, AGUDO E CRÔNICO: Após ingestão acidental de doses iguais ou superiores a 10 g, pode ocorrer transtornos de memória e alteração citolitica hepatica.

EFEITOS COLATERAIS: O produto não apresenta os efeitos colaterais caracterizados.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIA QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é MUITO PERIGOSO ao meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO a organismos aquáticos (algas). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamento. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÒES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local dever ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de água naturais, siga as instruções:

Piso pavimentado: Recolher o material com auxilio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água;

Solo: retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;

Corpos d'água: interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido; Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o
aumento de população de plantas infestantes a ele resistentes.
Como prática de manejo e resistência de plantas infestantes deverão ser aplicadas herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registradas para a cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.