AGROLINK - O Portal do conteúdo Agropecuário. Confira: Noticias atualizadas, Previsão do tempo, cotações, sistemas especialistas de produtos agro, Colunistas, Classificados gerais.

Bula Captain 500 WP

Captana
8719
Sharda

Composição

Captana 500 g/kg

Classificação

Fungicida
I - Extremamente tóxica
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Preventivo

Alho

Peronospora destructor (Míldio)

Batata

Phytophthora infestans (Requeima)

Cebola

Botrytis squamosa (Queima das pontas)
Peronospora destructor (Míldio)

Citros

Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose)
Diaporthe citri (Podridão penducular)
Elsinoë fawcetti (Verrugose)

Maçã

Cladosporium carpophilum (Sarna do pessegueiro)
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose)
Elsinoë piri (Antracnose maculata)
Monilinia fructicola (Podridão parda)
Venturia inaequalis (Sarna da maçã)

Melancia

Colletotrichum orbiculare (Antracnose)
Pseudoperonospora cubensis (Míldio)

Melão

Colletotrichum orbiculare (Antracnose)
Pseudoperonospora cubensis (Míldio)

Pepino

Colletotrichum orbiculare (Antracnose)
Pseudoperonospora cubensis (Míldio)

Pêssego

Cladosporium carpophilum (Sarna do pessegueiro)
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose)
Monilinia fructicola (Podridão parda)
Taphrina deformans (Crespeira)

Tomate

Phytophthora infestans (Requeima)
Septoria lycopersici (Septoriose)

Uva

Botrytis cinerea (Mofo cinzento)
Plasmopara viticola (Míldio)

Tipo: Caixa.
Material: Fibra celulósica.
Capacidade: 1 - 2 kg.
Tipo: Saco.
Material: Hidrossolúvel.
Capacidade: 0,1 - 5,0 kg.
Tipo: Saco.
Material: Plástico aluminizado/Plástico/Fibra celulósica.
Capacidade: 0,1 - 20 kg.
Tipo: Tambor.
Material: Metálico/Plástico.
Capacidade: 10 - 50 kg.
Tipo: Tambor.
Material: Fibra celulósica.
Capacidade: 5 - 20 kg.

MODO DE APLICAÇÃO: CAPTAIN 500 WP poderá ser aplicado através de pulverizadores costal manual ou motorizados, pulverizador tratorizado convencional de barra ou atomizadores nas dosagens recomendadas para pulverização via foliar. Manter a calda de pulverização sob agitação contínua e o registro do pulverizador fechado durante as paradas e manobras com o equipamento de tal forma a se evitar sobreposição nas áreas tratadas.

Pulverização em parte Aérea Utilizar pulverizador tratorizado de barra equipado com bicos cônicos Teejet X2 ou X3, com um diâmetro de gotas de 50 a 200 micra, densidade de 50 a 70 gotas/cm² e com pressão de 40 a 60 libras. Utilizando-se outros equipamentos, como pulverizador costal manual ou motorizados, procurar obter uma cobertura uniforme da parte aérea da cultura. As pulverizações devem ser realizadas nas horas mais frescas do dia com temperatura inferior a 27ºC e baixa incidência de ventos para evitar as perdas por volatização ou deriva.

Instruções para preparo da calda de pulverização: Encher ¾ do volume do tanque de pulverização com água e adicionar CAPTAIN 500 WP, mantendo o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. A agitação da calda deve ser contínua durante o preparo da calda e durante a operação de aplicação da calda.

Lavagem dos equipamentos de pulverização: Somente utilizar equipamentos limpos e devidamente conservados. Após a aplicação do produto, realizar lavagem completa do equipamento em local apropriado evitando a contaminação de lagos, fontes, rios e demais corpos d’água.

INTERVALO DE SEGURANÇA (dias):
Alho, Cebola, Citros ........................................................................ 7 dias
Batata ............................................................................................ 14 dias
Maçã, Melancia, Melão, Pepino, Pêssego, Tomate e Uva ............... 1 dia

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Não entrar na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes deste período, utilizar os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO: - O produto deverá ser utilizado de acordo com as recomendações de bula.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Seguir as recomendações atualizadas de manejo de resistência do FRAC-BR (Comitê de Ação e Resistência a Fungicidas - Brasil). Qualquer agente de controle de doença poderá ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação e Resistência a Fungicidas recomenda as seguintes estratégias de Manejo da Resistência visando proteger a vida útil dos fungicidas.
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismo de ação distintos.
- Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula do produto.
- Sempre consultar um profissional legalmente habilitado para orientação sobre as recomendações locais para o Manejo da Resistência.