Bula Carboran Fersol 350 SC

acessos
Carbofuran
1078903
Ameribrás

Composição

Carbofurano 350 g/L Metilcarbamato de benzofuranila

Classificação

Inseticida, Nematicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico

Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Nematóide
(Pratylenchus zeae)
4 a 5 L p.c./ha - - Único. 90 dias. Antes do fechamento do sulco
Nematóide das galhas
(Meloidogyne incognita)
4 a 5 L p.c./ha - - Único. 90 dias. Antes do fechamento do sulco

Frascos e bombonas plásticas ou metálicas de : 0,5; 1; 2; 5; 10; 20; 25; 50; 100; 200; 500; e 1000 Litros

NÚMERO, ÉPOCA OU INTERVALO DE APLICAÇÃO:

Aplique exclusivamente sobre os toletes de cana-de-açúcar diretamente no sulco (solo) de plantio.

MODO E EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO:

Para cana-de-açúcar a aplicação se faz com equipamento terrestre tratorizado, no momento que
antecede a cobertura dos toletes (fechamento do sulco).

INTERVALO DE SEGURANÇA:

Cana-de-açúcar: 90 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:

Mantenha afastadas das áreas de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas
desprotegidas por um período de 7 (sete) dias após a aplicação do produto.

LIMITAÇÕES DE USO:

Utilize sempre fertilizantes neutros ou ácidos, nunca de natureza alcalina.
OBS: os toletes de cana-de-açúcar não podem servir para alimentação humana ou animal.
Não utilizar herbicidas à base de Anilida.

Fitotoxicidade:

Não causa fitotoxicidade para as culturas indicadas, nas doses recomendadas.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM
UTILIZADOS:

(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana –
ANVISA / MS)

INFORMAÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
VIDE: Modo de Aplicação

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA:

DADOS RELATIVOS ÀS PRECAUÇÕES DE USO E RECOMENDAÇÕES GERAIS QUANTO A
PRIMEIROS SOCORROS, ANTÍDOTOS E TRATAMENTO NO QUE DIZ RESPEITO À SAÚDE
HUMANA:

ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES:

PRECAUÇÕES GERAIS:

• Produto para uso exclusivamente agrícola.
• Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
• Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto.
• Não utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPI) danificados.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Não desentupa, bicos, orifícios e válvulas com a boca.
• Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO DO PRODUTO:

• Use protetor ocular:
Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS
SOCORROS.
• Use máscara cobrindo o nariz e a boca:
Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS
SOCORROS.
• Use luvas de borracha:
Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
• Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos:
Use macacão com mangas compridas, touca árabe, óculos ou viseira facial, luvas, botas,
avental impermeável e máscara apropriada.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO:

• Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança.
• Evite, o máximo possível, o contato com a área de aplicação.
• O produto produz neblina, use máscara cobrindo o nariz e a boca.
• Não aplique o produto contra o vento e nas horas mais quentes do dia.
• Use macacão com mangas compridas, touca árabe, botas, luvas, óculos e máscara cobrindo o
nariz e a boca.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:

• Não reutilize a embalagem vazia.
• Mantenha o restante do produto adequadamente fechado na embalagem original, em local
trancado, longe do alcance de crianças e animais.
• Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
• Fique atento ao período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do
fabricante.
07.11.2017
• Tome banho, troque e lave as roupas de proteção separado das roupas domésticas.

PRIMEIROS SOCORROS:

INGESTÃO:
Provoque vômito e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário
agronômico do produto.
OLHOS:
Lave com água em abundância e procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula ou
receituário agronômico do produto.
PELE:
Lave com água e sabão em abundância e, se houver irritação, procure o médico levando a
embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
INALAÇÃO:
Procure lugar arejado e vá ao médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário
agronômico do produto.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA:

Atropina é o antídoto de emergência em caso de intoxicação. Nunca administre sulfato de atropina
antes do aparecimento dos sintomas de intoxicação. Se o acidentado parar de respirar, aplique
imediatamente respiração artificial. Transporte-o imediatamente para a assistência médica mais
próxima.

ANTÍDOTO:

Sulfato de atropina – crianças 0,015 a 0,050 mg/kg corporal/dose, de 10/10 minutos ou 15/15
minutos; adultos 1 a 2 mg/dose, de 10/10 minutos ou 15/15 minutos. Após a estabilização do
paciente, pode-se utilizar a infusão contínua na dose de 20 a 25 µg/kg corporal/hora em crianças, e
1,0 mg/hora em adultos. Tal procedimento deve ser feito com cautela, uma vez que a dose deve
ser reajustada de acordo com a melhora clínica. A presença de taquicardia e hipertensão não
contra-indica a atropinização. Critérios para espaçamento das doses: (30/30 min; 60/60 min; 2/2
horas). Reversão do quadro e sinais de intoxicação atropínica (secura na boca, rubor facial,
taquicardia, midríase, agitação psicomotora e alucinação). A atropinização deve ser suspensa
quando o paciente estiver assintomático após algum tempo, com espaçamento de pelo menos 2
horas, e nunca antes disso, pois pode haver rebote e reaparecimento do quadro de intoxicação. Tal
procedimento deve ser feito com cautela, uma vez que pode haver piora do quadro. Manter em
observação por 72 horas, com monitorização cardíaca.

Outros procedimentos:

a) tratamento sintomático nos casos onde a intoxicação não estiver excluída;
b) em caso de convulsão usar Diazepan;
c) correção dos distúrbios hidroeletrolíticos;
d) Contraindicações – morfina, barbitúricos, reserpina, fenotia-zínicos, aminofilina, teofilina e
insulina.

Recomenda-se consultar um Centro de controle de intoxicações, quando houver dúvida, ou caso
haja aparecimento da Síndrome Intermediária ou da Neuropatia tardia.
07.11.2017
A primeira deve ser tratada com bloqueador neuromuscular adespolarizante e (re)intubação do
paciente, enquanto a segunda, da mesma forma que a Síndrome de Guillain-barré Atípica, ou seja,
plasmafarese e fisioterapia motora.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO:

Ação: Atua como inibidor reversível e direto da colinesterase. O acúmulo de acetilcolina nas
sinapses nervosas e junções mionevrálgicas causam efeitos tóxicos. A enzima sob ação do
carbamato sofre reação rápida e espontânea.
Absorção: Pode ser absorvido pelo trato gastrointestinal e pela via dérmica.
Excreção: É excretado principalmente pela urina e em menor grau pelas fezes e ar expirado.

SINTOMAS DE ALARME:

Fraqueza, dor de cabeça, opressão no peito, visão turva, pupilas não reativas, salivação
abundante, suores, náuseas, vômitos, diarréias e cólicas abdominais.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS:

Agudos: Fraqueza, dor de cabeça, opressão no peito, visão turva, pupilas não reativas, salivação
abundante, suores, náuseas, vômitos, diarréias e cólicas abdominais.
Crônicos: Tem ação inibidora sobre a colinesterase, causando síndrome colinérgica.

EFEITOS ADVERSOS CONHECIDOS:

Uma vez que nenhum efeito terapêutico do produto é esperado para o homem, qualquer dos
efeitos acima são considerados colaterais.
TELEFONES DE EMERGÊNCIA:
Disque-Intoxicação: 0800-722-6001
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica - RENACIAT - ANVISA/MS
AMERIBRÁS Indústria e Comércio Ltda.: (11) 4708-1439

DADOS RELATIVOS AO MEIO AMBIENTE.

1. PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO
MEIO AMBIENTE:

Este produto é:

(X) MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE II)
- Este produto é ALTAMENTE MÓVEL, apresentando alto potencial de deslocamento no solo,
podendo atingir principalmente com vazamento.
- Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
- Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para microcrustáceos e peixes.
- Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para aves.
- Evite a contaminação ambiental. Preserve a Natureza.
- Não utilize equipamentos com vazamento.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
- Aplique somente as doses recomendadas.
- Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos
d´água. Evite a contaminação da água.
- A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo,
da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

2. INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E
PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:

- Mantenha o produto em sua embalagem original sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para os produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas,
rações ou outros materiais.
- A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
- O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
- Coloque placa de advertência com dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
- Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas
ou para o recolhimento de produtos vazados.
- Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da
Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.
- Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

3. INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:

- Isole e sinalize a área contaminada.
- Contate as autoridades locais competentes e a empresa AMERIBRÁS INDÚSTRIA E
COMÉRCIO LTDA. - Telefone de Emergência: (11) 4708-1439 ou Centro de Controle de
Intoxicação: telefone 0800 722 6001.
- Utilize equipamento de proteção individual- EPI (macacão impermeável, luvas e botas de PVC,
óculos protetores e máscara com filtros).

- Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros,
drenos ou corpos d´água. Siga as instruções abaixo:
Piso pavimento: absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com auxílio de
uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não
deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no
rótulo para a sua devolução e destinação final.
Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse
material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa
registrante conforme indicado acima.
Corpos d’água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal,
contate o orgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as
medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo
hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
- Em caso de incêndio, use extintores à base de CO2 ou PÓ QUÍMICO, ficando a favor do vento
para evitar intoxicação.

4. PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E
DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA A
UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA

O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em
local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde
guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio dessa embalagem.
Essa embalagem deve ser armazenada com sua tampa, em caixa coletiva, quando existente,
separadamente das embalagens lavadas.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA

No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com
tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota
fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo
de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo
de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo
de um ano após a devolução da embalagem vazia.

- TRANSPORTE

As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos,
rações, animais e pessoas.

- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA


- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA

O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em
local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde
guardadas as embalagens cheias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA

É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no
local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

- TRANSPORTE

As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos,
rações, animais e pessoas.

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS

A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser
realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos orgãos
competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA
OU FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA
EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS

A destinação inadequada das embalagens vazias, sacarias e restos de produtos no meio ambiente
causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das
pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante
através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos tipo rotativo a uma temperatura
na faixa de 900-950.º C, destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de
lavagem de gases efluentes e aprovados por Órgão Ambiental Competente.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:

O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação especifica,
que inclui acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os
agrotóxicos não podem ser transportadas junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou
outros materiais.

RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO
FEDERAL OU MUNICÍPIO:

De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:

Incluir outros métodos de controle de pragas (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do
programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA:

Qualquer agente de controle de pragas pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao
desenvolvimento de resistência.
Recomenda-se as seguintes estratégias de manejo de resistência, para prolongar a vida útil dos
inseticidas e acaricidas:

- Qualquer produto para controle de pragas da mesma classe ou de mesmo modo de ação não
deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
- Utilizar somente as dosagens recomendadas no rótulo/bula;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais
para o manejo de resistência.