Bula Curavial - Du Pont
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,090 (1,09%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,12%)

Bula Curavial

SulfometuroM-metílico
8198
FMC

Composição

Sulfometurom-metílico 750 g/kg

Classificação

Aérea
Regulador de crescimento
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Regulador de crescimento

Cana-de-açúcar

Dosagem
Saccharum officinarum (Cana de açúcar)

Sacos multifoliados, metálicos (Alumínio), de plástico, de papel, de nylonlpoli, caixas e barricas de papelão, bombonas plásticas e baldes metálicos (Ferro), contendo: 100, 200, 300, 400 e 500 g; e 1.0, 1.5, 5.0 e 10.0 kg. Embalagens tipo "minibulk" e "bulk" metálicas (Ferro), de fibra, de plástico contendo: 50, 100 e 200 kg. Sacos metálicos (Alumínio) e plástico contendo sacos hidrossolúveis, de 20, 40, 60, 80, 100, 200, 250 e 500 g, 1; 2; 2,5 e 3 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

MODO DE APLICAÇÃO

A aplicação de Curavial® é feita exclusivamente por via aérea.

Aplicação aérea

• Antes da aplicação de Curavial® o equipamento de pulverização deve estar limpo, procedendo então a calibragem do equipamento com água para a correta pulverização do produto.
• Aplicar através de aeronaves agrícolas equipadas com barra e dotadas de bicos de jatos cônicos cheio da série D ou CP que produzam gotas de 200 a 400 micra, altura de voo 2 a 4 m sobre a cultura, densidade de gotas de 20 a 30 gotas/cm².
• Não sobrepor as faixas de aplicação.
• Condições climáticas: devem ser respeitadas condições de velocidade do vento de 3 a 15 km/hora, temperatura inferior que 30ºC e umidade relativa superior a 55%, visando reduzir ao máximo as perdas por deriva e evaporação.
• Não realizar aplicação em condições de inversão térmica e de correntes ascendentes.

Não aplicar se houver rajadas de ventos ou em condições sem vento.

PREPARO DA CALDA:

Antes do preparo da calda, realize a limpeza do tanque pulverizador para evitar possíveis contaminações entre produtos. Verifique no item Lavagem do equipamento de aplicação como proceder.
No tanque de pré-mistura preparar uma calda homogênea utilizando a dose de Curavial® recomendada e adicionando nesta fase o espalhante adesivo (primeiramente o Curavial® e em seguida o espalhante adesivo).
Fazer a transferência desta pré-mistura para o tanque da aeronave completando o volume com água.

LAVAGEM DO EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

Após a aplicação do produto, ou em caso de utilização da aeronave para aplicação em outras culturas, deverá ser feita a descontaminação completa da aeronave, conforme legislação vigente.
Procedimento para a descontaminação: Sempre utilize os equipamentos de proteção individual recomendado em

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO

1. Lavar muito bem, com água limpa e sabão, interna e externamente o avião, circulando água pelas tubulações e bicos.
2. Encher o tanque do avião com água limpa adicionando uma solução de amônia caseira (3% de amônia) na proporção de 1 litro por 100 litros de água.
3. Circule esta solução pelas mangueiras, barras filtros e bicos. Desligue a barra e encha o tanque com água limpa.
Circule pelo sistema de pulverização por 15 minutos. Circule então pelas mangueiras, barra, bicos e difusores. Esvazie o tanque em local adequado a este tipo de procedimento, conforme legislação vigente.
4. Remova e limpe os bicos, filtros e difusores em um balde com a solução de limpeza.
5. Repita os passos º 2 e 3.
6. Para finalizar, enxague completamente o pulverizador, mangueiras, barra, bicos e difusores com água limpa no mínimo 2 vezes.
É recomendado a descontaminação da aeronave imediatamente após a aplicação para reduzir o risco da formação de depósitos sólidos que podem se tornar difíceis de serem removidos. O adiamento, mesmo por poucas horas, somente faz a limpeza mais difícil. A não lavagem ou mesmo a lavagem inadequada do pulverizador pode resultar em contaminação cruzada com outros produtos e/ou danos à outras culturas.
Limpe tudo que for associado ao pulverizador, inclusive o material usado para o enchimento do tanque. Tome todas as medidas de segurança necessárias durante a limpeza. Não limpe o equipamento perto de nascentes, fontes de água ou de plantas úteis. Descarte os resíduos
da limpeza de acordo com a legislação Estadual ou Municipal.

RECOMENDAÇÕES PARA EVITAR A DERIVA

Não permita que a deriva proveniente da aplicação atinja culturas vizinhas, áreas habitadas, leitos de rios e outras fontes de água, criações e áreas de preservação ambiental, de acordo com as normativas vigentes. O potencial de deriva é determinado pela interação de muitos fatores referentes ao equipamento de aplicação e ao clima. O APLICADOR É RESPONSÁVEL POR CONSIDERAR TODOS ESSES FATORES QUANDO DA DECISÃO DE APLICAR.

Para o gerenciamento da deriva devem ser observados fatores como: presença nas proximidades de culturas para as quais o produto não esteja registrado, condições climáticas, estádio de desenvolvimento da cultura, etc.

EVITAR A DERIVA DURANTE A APLICAÇÃO É RESPONSABILIDADE DO APLICADOR.

Importância do diâmetro de gota:
A melhor estratégia de gerenciamento de deriva é utilizar equipamentos e/ou bicos de
pulverização que permitam gerar gotas de diâmetro de 200 a 400 micra. APLICANDO GOTAS DE DIÂMETROS MAIORES REDUZ O POTENCIAL DE DERIVA, MAS NÃO A PREVINE SE AS APLICAÇÕES FOREM FEITAS DE MANEIRA IMPRÓPRIA OU SOB CONDIÇÕES AMBIENTAIS DESFAVORÁVEIS! Veja instruções sobre Condições de vento, Temperatura e Umidade e Inversão térmica.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Cana-de-açúcar: 21 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes deste período, utilize os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

• Não utilizar o produto em desacordo às instruções do rótulo e bula.
• Não aplicar mais de 20 gramas/ha de Curavial® por ciclo da cultura.
• Não aplicar em plantas que apresentem "estresse".
• Não aplicar através de sistemas de irrigação.
• A cana-de-açúcar em que foi aplicado Curavial® não deve servir para alimentação animal.
• Chuvas extremamente pesadas após a aplicação podem resultar em uma baixa performance na ação maturadora de Curavial® Observar um período mínimo de 4 horas entre a aplicação e a primeira chuva.
• Utilizar a calda imediatamente após o preparo. Nunca utilizar calda preparada no dia anterior.
• A sobreposição de faixas de aplicação pode causar fitotoxicidade na cultura.
• Para a rotação de cultura observar o período mínimo de 60 dias após a aplicação para
o plantio de culturas para as quais o Curavial® não está registrado.
• Não aplicar em quaisquer corpos d'água tais como lagos, reservatórios, açudes, represas, rios, ribeirões e etc.
• Não abastecer o pulverizador em qualquer corpo d’água.
• Não contaminar corpos d'água tais como lagos, reservatórios, açudes, represas, rios, ribeirões, criações e áreas de preservação ambiental, com sobra da aplicação ou embalagem do produto utilizado.
• Não use palha, torta de filtro e bagaço de cana-de-açúcar tratada com Curavial®, diretamente ou ao redor de plantas para as quais o produto não está registrado. Após o período de 12 meses da aplicação de Curavial® não há restrições para este uso.
• Durante a aplicação, não permitir que Curavial® atinja plantações vizinhas por deriva ou vento.
• Embora não se conheça na prática casos de incompatibilidade, o produto deve ser utilizado apenas conforme recomendação.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de plantas infestantes (ex. controle manual, como roçadas, capinas, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Plantas Infestantes, quando disponível.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupos B para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas (ex. controle manual, roçadas, capinas, etc.).
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO B HERBICIDA

Curavial® é um herbicida composto por Sulfometurom-metílico, do grupo químico das Sulfoniluréias, age como inibidor da ALS (Acetolactato sintase) ou acetohidroxidoácido sintase (AHAS) e pertence ao Grupo B, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).