Bula Dithane WG NT - Dow AgroSciences

Bula Dithane WG NT

CI
Mancozebe
12609
Dow AgroSciences

Composição

Mancozebe 750 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Fungicida, Acaricida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Contato

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Caixa papelão: 0,2; 0,3; 0,5; 0,6; 1,0 e 1,2 Kg.

Saco hidrossolúveis: 20, 50, 100, 200, 250, 300, 500 e 600g.

Saco polietileno/poliéster ou aluminizado: 0,1; 0,25; 0,3; 0,5; 0,6; 1; 2; 5; 10 e 25 kg.

Saco alumínio: 0,1; 0,25; 0,3; 0,5; 0,6; 1; 2; 5; 10 e 25 kg.

Saco papel: 9, 11, 15, 20, 30, 35, 36, 41, 43, 50, 60 e 70 kg.

Balde metálico: 10 kg.

Balde polietileno: 10 kg.

Tambor fibra: 10 e 25 kg.

Tamborete fibra: 9, 11, 15, 20, 30, 35, 36, 41, 43, 50, 60 e 70 kg.

INSTRUÇÕES DE USO:

DITHANE* WG NT é um fungicida de contato de amplo espectro, pertencente à classe química dos etilenosbis(ditiocarbamatos), apresentado na forma de granulado dispersível recomendado para a pulverização das partes aéreas das culturas. A ação fungicida do produto é devido ao Etileno Bis Isotiocianato, que é um gás resultante da degradação do MANCOZEBE e que age sobre esporos, micélios e tubos germinativos dos fungos, interferindo na produção de energia, podendo ser considerado como um inibidor de ação múltipla. O MANCOZEBE tem a capacidade de atuar sobre os seis pontos vitais das células (divisão celular; síntese de proteína; formação da parede celular; síntese de lípidios e esteróis; transporte de elétrons e síntese de ATP).

MODO DE APLICAÇÃO

Por ser um produto com ação de contato, DITHANE* WG NT deve ser aplicado em quantidade de água suficiente para uma cobertura completa e uniforme das plantas.
DITHANE* WG NT é indicado para aplicações terrestres e aéreas. As aplicações terrestres podem ser através de equipamento costal (motorizado ou manual), ou tratorizados equipados com barras, turbo-atomizadores, mangueiras e pistolas. O volume de calda varia de acordo com o porte da cultura e o número de plantas por hectare.

A. Aplicação Terrestre -
A.1. Pulverizadores de barra acoplados a tratores
Deve-se observar os seguintes parâmetros:
- Velocidade do trator: 6- 8 km/h
- Pressão do manômetro: 150 - 250 lb/pol²
- Tipo de bico: bico cônico (cheio ou vazio) série D ou X
- Condições climáticas: não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h
Obs.: A barra de pulverização deverá estar sempre aproximadamente 20 cm acima da planta. Usar equipamentos com barras de 9,5 a 18 metros, colocando-se os bicos com intervalos de 25 cm (este intervalo poderá ser alterado através de recomendação técnica).

A.2. Pulverizadores de mangueira
Deve-se observar os seguintes parâmetros:
- RPM na tomada de força: 540 rpm
- Pressão do manômetro: 250 - 350 lb/pol²
- Tipo de bico: bico cônico (cheio ou vazio) série D ou X
- Condições climáticas: não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h.

A.3. Pulverizadores com pistola
Deve-se observar os seguintes parâmetros:
- Velocidade do trator: 1,8 km/h
- RPM do trator: 1.400 rpm
- Marcha do trator: 1ª reduzida
- Vazão: 130 litros/minuto
- Pressão: 300 - 350 lb/pol²
- Tipo de bico: disco ou chapinha nº 4 a 10.
- Condições climáticas: não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h

A.4. Atomizadores (turbo atomizadores)
Deve-se observar os seguintes parâmetros:
- Velocidade do trator: 2 - 3 km/h
- RPM na tomada de força: 540 rpm
- Pressão: 160 - 300 lb/pol²
- Tipo de bico: disco ou chapinha nº 3 a 6. Considerando-se que todos estejam abertos,
recomenda-se alternar bicos com difusor de 2 furos, com bicos de difusor de 3 furos.
- Condições climáticas: não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h

B. Pulverizadores Costais:
Como os pulverizadores costais manuais não possuem regulador de pressão, o volume a ser aplicado depende muito do operário que executa a operação. A calibração deve ser feita individualmente, sendo considerada uma velocidade usual aquela ao redor de 1m/segundo. A pressão de trabalho varia conforme o ritmo de movimento que o operador imprime à alavanca de acionamento da bomba, combinado com a vazão do bico. Bicos de alta vazão geralmente são trabalhados à baixa pressão, uma vez que no ritmo normal de bombeamento não se consegue atingir altas pressões. Em oposição, bicos de baixa vazão são operados em pressões maiores, pois o operador consegue manter o circuito pressurizado acionando poucas vezes a alavanca da bomba.

C. Aplicação Aérea:
Deve-se observar os seguintes parâmetros:
- Tipo de bico: bico cônico (cheio ou vazio) série D
- Volume de aplicação: 10 a 30 litros/ha
- Diâmetro das gotas: 150 - 250 micra
- Densidade das gotas: 50 - 70 gotas/cm²
- Altura do vôo: 2 a 3 metros
- Largura da faixa: 12 - 16 metros
- Pressão: 30 - 45 lb/pol²
- Condições climáticas: não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h
- Umidade relativa do ar: mínimo de 55%

INTERVALO DE SEGURANÇA:

Batata e Tomate: 7 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs)recomendados para uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Fitotoxicidade:
DITHANE* WG NT não é fitotóxico às culturas indicadas quando utilizado de acordo com as instruções de uso recomendadas.
Outras restrições a serem observadas:
DITHANE* WG NT é incompatível com formulações altamente alcalinas, tais como calda bordalesa e calda sulfocálcica.
Evitar temperaturas de armazenamento superiores a 35º C.
Não empilhar as embalagens em pilhas com mais de 2 m de altura, para evitar a compactação do produto.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.

O uso sucessivo de fungicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população de fungos causadores de doenças resistentes a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e consequente prejuízo.
Como prática de manejo de resistência e para evitar os problemas com a resistência dos fungicidas, seguem algumas recomendações:
• Alternância de fungicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo M03 para o controle do mesmo alvo, sempre que possível;
• Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc;
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
• Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.fracbr.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO M03 FUNGICIDA

O produto fungicida DITHANE WG NT é composto por Mancozebe, que apresenta mecanismo de ação de atividade de contato multi-sítio, pertencente ao Grupo M03, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).