Bula Fazor SL

acessos
Hidrazida malêica
7896
Arysta Lifescience

Composição

Hidrazida malêica 180 g/L Piridazinadiona

Classificação

Regulador de crescimento
II - Altamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Sistêmico
Arroz irrigado Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Não classificado
(Não classificado)
9,5 L p.c./ha - 15 a 30 L de calda/ha (aéreo) - Suspender a aplicação 14 dias antes da colheita na cultura da batata e do arroz irrigado. Quando os grãos de arroz branco estiverem no estágio pastoso ou mais amadurecido, e os grãos de arroz vermelho estiverem no estágio leitoso ou mais precoce
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Não classificado
(Não classificado)
18,5 L p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha - - Não determinado. Quando os menores tubérculos que serão colhidos e comercializados como tipo "especial" apresentarem diâmetro mínimo de 3,5 cm, o que ocorre no terço final do ciclo da cultura até 2 semanas da época ideal para a desrama

Embalagens: balde de plástico de 5, 10, 20 e 25 L e bombona plástica de 5, 10, 20, 25 e 50 L.

INSTRUÇÕES DE USO:
FAZOR SL é um regulador de crescimento de ação sistêmica.
Na cultura do ARROZ IRRIGADO, FAZOR SL inibe a formação de grãos de arroz vermelho melhorando e valorizando a qualidade do produto comercial e reduz a reinfestação desta planta daninha na safra subsequente.
Na cultura da BATATA, FAZOR SL inibe o desenvolvimento de brotos nos tubérculos, durante o período pós-colheita, permitindo um prolongamento do tempo de armazenagem. A ação anti-brotante do produto inibe a germinação de tubérculos de batata, remanescentes na lavoura (batata voluntária ou resteva), no período após a colheita.

CULTURA, DOSE E VOLUME DE CALDA:
Vide a seção “Indicações de Uso/Doses”

Nota:
9,5 litros de p.c. equivalem a 1,71 kg do i.a. Hidrazida Malêica
18,5 litros de p.c. equivalem a 3,33 kg do i.a. Hidrazida Malêica

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
• Arroz irrigado: Quando os grãos de arroz branco estiverem no estágio pastoso ou mais amadurecido, e os grãos de arroz vermelho estiverem no estágio leitoso ou mais precoce.
- Observações: Os estágios das plantas para pulverização poderão ocorrer com variedades de ciclo precoce ou em lavouras em que os métodos de cultivo proporcionarem um diferencial entre o florescimento do arroz branco e do vermelho de pelo menos 7 dias (o arroz branco florescendo antes). O produto não será eficiente, quando aplicado após a fase de grão leitoso do arroz vermelho.

• Batata: Quando os menores tubérculos que serão colhidos e comercializados como tipo "especial" apresentarem diâmetro mínimo de 3,5 cm, o que ocorre no terço final do ciclo da cultura até 2 semanas da época ideal para a desrama.
Os tubérculos sobre os quais se deseja a ação do produto deverão estar ligados à planta-mãe e em pleno desenvolvimento para que ocorra a translocação.
- Observações: A desrama (mecânica ou química) somente poderá ser realizada 2 semanas após a pulverização.
Amostragem para determinação da época de aplicação: tomar 10 plantas/ha percorrendo a área em forma de "X", observar o tamanho dos tubérculos e se estes estão ligados à planta mãe.
Em condições de armazenamento desfavoráveis, aparecerão, após 30-45 dias, pequenas estruturas deformadas de coloração parda nos pontos de crescimento dos tubérculos que evoluem muito lentamente. Em condições favoráveis de armazenamento, estas estruturas, que são a malformação de brotos pelo efeito da aplicação do produto, poderão ter seu aparecimento retardado em até 4 – 5 meses.
A ocorrência de brotos nos tubérculos indica que nestes não houve a translocação do produto na quantidade necessária.
Consulte um Engenheiro Agrônomo para determinação da época de aplicação em função da variedade cultivada.

MODO DE APLICAÇÃO / EQUIPAMENTOS:

• Arroz irrigado: A aplicação deverá ser feita através de aeronaves agrícolas.
a) Aviões equipados com barra (IPANEMA): Utilizar 40 – 42 bicos do tipo jato cônico vazio. Fechar 4 a 5 bicos da extremidade de cada asa. Manter ativos os bicos da "barriga" da fuselagem. Os ângulos dos bicos deverão ser ajustados entre 90o a 180o.

b) Aviões equipados com "micronair": As pás deste tipo de bico rotativo deverão ser ajustadas para cada condição climática no momento da aplicação, de maneira a se obter uma deposição com um DMV de 110 – 120 micra, com um mínimo de 40 gotas/cm2.

Altura de vôo: 4 – 5 metros
Volume de calda: 15 a 30 litros/ha
Pressão de operação: 15 a 30 psi
Faixa de deposição: 15 metros

Condições climáticas:
- Temperatura máxima: 27oC
- Umidade relativa do ar: 55%
- Velocidade do vento: máx. 10 km/h (3,0 m/s)

• Batata: Utilizar pulverizadores de barra tratorizados ou pulverizadores costais manuais ou motorizados. Empregar bicos tipo "cone", aplicando de forma a promover o completo molhamento das folhas verdes das plantas.

INTERVALO DE SEGURANÇA: suspender a aplicação 14 dias antes da colheita na cultura da batata e do arroz irrigado.

LIMITAÇÕES DE USO:
• Não utilizar o produto através de sistemas de irrigação.
• Não misturar a outros defensivos agrícolas, e nem com espalhantes adesivos.
• Não aplicar o produto em lavouras destinadas à produção de sementes ou propagação.
• Não aplicar o produto em dias muito secos ou em condição de temperatura elevada, quando as folhas das plantas de batata e de arroz vermelho apresentarem murchamento.
• Evitar aplicações durante a noite. Procurar pulverizar pela manhã, quando a temperatura ainda não é elevada.
• Sendo o produto de ação sistêmica, é necessário que as plantas de batata e de arroz vermelho estejam em fase de intenso desenvolvimento e translocação, com folhas verdes e livres do ataque de pragas e doenças.
• Em plantas desenvolvidas sob condições adversas, stress hídrico, a absorção do produto será menor e os resultados esperados não deverão ser tão bons como àqueles obtidos em plantas sob condições normais de desenvolvimento.
• A deriva da pulverização durante a aplicação é indesejável, e poderá afetar lavouras vizinhas.
• Não aplicar antes da época recomendada. Uma aplicação adiantada poderá gerar grãos/tubérculos malformados.
• Não aplicar o produto até pelo menos 24 horas antes de ocorrência de chuva ou irrigação por aspersão.
Em arroz irrigado:
• Não aplicar em lavouras onde não seja observado o diferencial de florescimento entre o arroz branco e o arroz vermelho, de pelo menos 7 dias (o arroz branco florescendo antes).
• Não pulverizar quando as plantas de arroz branco estiverem no estágio leitoso ou mais precoce.
• Não pulverizar em lavouras onde os estágios de desenvolvimento das plantas de arroz branco sejam heterogêneos.
• Sendo os estágios de desenvolvimento das plantas de arroz vermelho demasiadamente heterogêneos, o produto não inibirá o desenvolvimento de grãos (do arroz vermelho) já no estágio pastoso ou mais maduro.
Em batata:
• FAZOR® SL não protege os tubérculos da ação de doenças e pragas durante o período de armazenamento. Portanto, é fundamental que a batata a ser armazenada seja de boa qualidade.
• Não se recomenda a aplicação do produto em variedades não indicadas ao armazenamento.
Fitotoxicidade para as culturas indicadas:
• Nas doses e épocas recomendadas o produto não apresenta fitotoxicidade.
• Uma aplicação antecipada do produto reduzirá a produtividade, causando tubérculos/grãos malformados, sem valor comercial, o que poderá ocorrer se a lavoura estiver demasiadamente heterogênea, com plantas em vários estágios de desenvolvimento.
Outras observações:
Consulte um Engenheiro Agrônomo para orientação de métodos de armazenamento para batata nas diferentes regiões.

PRECAUÇÕES GERAIS: Uso exclusivamente agrícola. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use protetor ocular. O produto é irritante para os olhos. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscaras cobrindo o nariz e a boca. Produto perigoso se inalado ou aspirado. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use luvas de borrachas. Produto irritante para a pele. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.
Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, óculos ou viseira facial, luvas, botas e avental impermeável. Não fume, não coma e não beba durante o manuseio com o produto.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto contra o vento, nem na presença de ventos. A pulverização do produto produz neblina. Use máscara com filtro cobrindo o nariz e a boca. Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas impermeáveis e botas. Não fume, não coma e não beba durante a aplicação do produto.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, fora do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as roupas.

PRIMEIROS SOCORROS: Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Ingestão: provoque vômito e procure logo um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto. Olhos: Lave com água em abundância e procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e se houver sinal de irritação procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto. Inalação: Procure lugar arejado e se houver sinal de intoxicação, procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto.

ANTÍDOTO: não específico. Tratamento sintomático.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA: Em caso de ingestão ingerir água em abundância e provocar vômito. Evite bebidas alcoólicas. Sintomas de alarme: irritação da pele e irritação dos olhos.

TELEFONE PARA OS CASOS DE EMERGÊNCIA: CENTRO DE INFORMAÇÃO TOXICOLÓGICA: (11) 5012-5311 (C.I.T.). EMPRESA: UNIROYAL QUÍMICA Ltda. 0800 771-1506.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: Quando a HIDRAZIDA MALEICA foi administrada a ratos, a principal via de eliminação foi via urina. A eliminação foi muito rápida, com mais de 80% de uma dose administrada tendo sido recuperada dentro de 24 horas. Nenhuma diferença foi observada entre ratos machos e fêmeas, tanto em relação a dose, quanto na via de eliminação.

EFEITOS AGUDOS E COLATERAIS: DL50 oral (rato) > 5,0 g/Kg. DL50 dérmica (rato albino): 2,0 g/Kg. Irritabilidade ocular: irritante moderado. Irritabilidade dérmica: levemente irritante. Sensibilização dérmica: não sensibilizante

EFEITOS CRÔNICOS: Não são esperados efeitos crônicos no ser humano com o produto como resultado do seu uso agrícola, quando observadas as recomendações constantes na bula.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é: Perigoso Ao Meio Ambiente (Classe III). Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividade aeroagrícolas. Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASOS DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa UNIROYAL QUÍMICA Ltda. - Telefone 0800-771-1506. Utilize o EPI (Macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais. Siga as instruções abaixo:

Piso pavimentado: Recolher o material com o auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipiente devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água.

Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada.

Corpos d'água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contatar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias.

As embalagens devem ser destruídas e enterradas em fosso para lixo tóxico. O local para construção do fosso deve ser distante de casas, de instalações ou de qualquer fonte de água, fora do trânsito de pessoas ou animais, porém de fácil acesso e onde não se preveja o aproveitamento agrícola, mesmo a longo prazo.

O local não deve ser sujeito a inundações ou acúmulos de água. O solo deve ser profundo, de permeabilidade média para permitir uma percolação lenta e degradação biológica do agrotóxico. Abrir um fosso de 1 a 2 m de profundidade, comprimento e largura, não devendo exceder a 3 m, de acordo com as necessidades.

Distribuir no fundo do fosso uma camada de pedras irregulares e uma camada de brita. Ao redor do fosso cavar uma valeta, com escoadouro, para impedir a penetração de enxurradas. Reservar uma área suficiente para instalação de mais fossos, de acordo com a necessidade. Isolar a área com cerca de tela, para impedir a entrada de animais e dificultar a entrada de pessoas.

Colocar um placa de advertência (CAVEIRA) com os dizeres: CUIDADO LIXO TÓXICO. Antes de iniciar o uso do fosso, e após cada 15 cm de material descartado, colocar camadas de cal virgem ou calcário para ajudar a neutralização. Completada a capacidade do fosso, cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. Uma camada adicional de 30 cm de terra deve ser colocada sobre o aterro, para que este fique acima do nível do terreno. Observar legislação Estadual e Municipal específica. Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas inadequadas, consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se a praga-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando-se as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula;
- Em caso de dúvidas, consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI);
- Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para a orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados. Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex.: controle cultural, biológico, químico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.