Bula Simbio Mix - Proregistros

Bula Linero

Mancozebe; Cimoxanil
37517
Proregistros

Composição

Mancozebe 640 g/kg
Cimoxanil 80 g/kg

Classificação

Terrestre
Fungicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Contato, Sistêmico

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Cebola

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Uva

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Tipo: Saco.
Material: Aluminizado, Plástico , Papel multifoliado(acondicionado em caixa de papelão), Fibra de papelão reforçado e Papel multifoliado.
Capacidade: 0,5; 1,0; 1,5; 2,0; 2,5; 3,0; 3,5; 4,0; 4,5; 5,0; 10; 20; 24; 25 kg.
Tipo: Caixa.
Material: Papelão(com invólucro interno de plástico).
Capacidade: 0,5; 1,0; 1,5; 2,0; 2,5; 3,0; 3,5; 4,0; 4,5; 5,0; 10; 20; 24; 25 kg.
Tipo: Saco.
Material: Metálico ou plástico(contido em balde plástico.
Capacidade: 5; 10; 20; 24; 25 kg.
Tipo: Saco.
Material: Nylon poliéster.
Capacidade: contendo sacos hidrossolúveis de 0,05; 0,1; 0,2; 0,25; 0,5 kg.
Tipo: Saco.
Material: Multifoliado(alumínio, plástico e papel).
Capacidade: contendo sacos hidrossolúveis de 0,05; 0,1; 0,15; 0,2; 0,25; 0,5 kg.
Tipo: Caixa.
Material: Papelão.
Capacidade: Contendo sacos aluminizados de 0,5; 1,0; 2,0; 5,0; 10; 20; 24; 25 kg.
Tipo: Barrica.
Material: Papelão.
Capacidade: Contendo sacos aluminizados de 0,5; 1,0; 2,0; 5,0; 10; 20; 24; 25 kg.
Tipo: Saco.
Material: Papel.
Capacidade: Contendo sacos aluminizados de 0,5; 1,0; 2,0; 5,0; 10; 20; 24; 25 kg.
Tipo: Balde.
Material: Metálico ou Plástico.
Capacidade: Contendo sacos aluminizados de 0,5; 1,0; 2,0; 5,0; 10; 20; 24; 25 kg.

INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO

SIMBIO MIX é um fungicida de ação sistêmica e de contato, dos grupos químicos lquilenobis (ditiocarbamato) – mancozebe, e acetamida – cimoxanil, apresentado na forma de pó molhável, indicado no controle de doenças fúngicas nas culturas de batata, cebola, tomate e uva.
MODO DE APLICAÇÃO

SIMBIO MIX deve ser aplicado na dosagem recomendada, em quantidade de calda suficiente para uma cobertura completa e uniforme das plantas a serem tratadas. Manter a calda de pulverização sob agitação contínua e o registro do pulverizador fechado durante as paradas e manobras com o equipamento de tal forma a se evitar sobreposição nas áreas tratadas.

Aplicação Terrestre

Para aplicar o SIMBIO MIX utilize uma tecnologia de aplicação que ofereça uma boa cobertura. Tamanho de gota: 90 a 100 micra.
Densidade de gotas: mínimo 60 gotas /cm².
Adicionar espalhante adesivo para propiciar uma melhor cobertura e aderência do SIMBIO MIX, conforme recomendação do fabricante.
Instruções para Preparo da Calda de Pulverização: Encher ¾ do volume do tanque de pulverização com água e adicionar o produto mantendo o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. A agitação da calda deve ser contínua durante o preparo da calda e durante a operação de aplicação da calda.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Batata, cebola, tomate e uva: 7 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

• O produto deverá ser aplicado isoladamente, sem mistura em tanque.
• Não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h e nem sob chuva.
• Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicada.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle.

Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos.
- Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
- Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. resistência genética, controle cultural, biológico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.